UOL Notícias Notícias
 

26/03/2010 - 17h34

SAIBA MAIS-Ministros deixam cargos para disputar eleições

BRASÍLIA (Reuters) - De acordo com a legislação eleitoral, os ministros com intenção de concorrer às eleições deste ano devem deixar os cargos até 3 de abril.

Tarso Genro (PT) deixou o Ministério da Justiça em 10 de fevereiro para se dedicar à candidatura ao governo do Rio Grande do Sul --foi substituido pelo então secretário-executivo, Luiz Paulo Barreto

Confira, a seguir, os titulares que devem deixar suas pastas e quem pode substituí-los:

DILMA ROUSSEFF (PT), CASA CIVIL

-- Pré-candidata do PT à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O último dia de atividades como ministra, segundo previsão de agenda, sujeita a alterações, será 31 deste mês. É grande a possibilidade de que a secretária-executiva Erenice Guerra assuma a Casa Civil.

HENRIQUE MEIRELLES (PMDB), BANCO CENTRAL

-- Ainda é incerta sua saída do Banco Central. Ele pode se candidatar ao Senado, como querem seus colegas de partido em Goiás. Ele também pode tentar viabilizar-se como candidato a vice na chapa de Dilma. Possível substituição: o atual diretor de Normas e Organização do Sistema Financeiro do BC, Alexandre Tombini.

EDISON LOBÃO (PMDB), MINAS E ENERGIA

-- A assessoria confirma que o ministro deixará a pasta para tentar reeleger-se para o Senado pelo Maranhão. O secretário Executivo, Márcio Zimmermann, é quem assumirá a pasta.

CARLOS MINC (PT), MEIO AMBIENTE

-- O ministro deve retornar à Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro, para onde deve tentar reeleger-se pela sétima vez.

O ministro afirmou, em coletiva de imprensa na quarta-feira, que a secretária-executiva, Izabella Teixeira, será exonerada em 31 deste mês para assumir o ministério.

REINHOLD STEPHANES (PMDB), AGRICULTURA

-- O ministro tentará reeleger-se para o sétimo mandato de de deputado federal. Para a substituição há nomes técnicos e políticos.

PATRUS ANANIAS (PT), DESENVOLVIMENTO SOCIAL

-- Pré-candidato ao governo de Minas Gerais, depende de negociações entre o PT e o PMDB para o acerto final. Ainda não foi definida a sua substituição.

HÉLIO COSTA (PMDB), COMUNICAÇÕES

-- O ministro também aguarda definição entre PT e PMDB para decidir se tenta a reeleição para o Senado ou se sai candidato ao governo de Minas Gerais. Também não está definido o nome do substituto.

GEDDEL VIEIRA LIMA (PMDB), INTEGRAÇÃO NACIONAL

-- Eleito por cinco mandatos consecutivos à Câmara dos Deputados, o ministro sairá candidato ao governo da Bahia, de acordo com a assessoria. É provável que o secretário-executivo, João Santana, assuma a pasta.

JOSÉ PIMENTEL (PT), PREVIDÊNCIA

-- Deputado federal por quatro mandatos, o ministro deve se candidatar dessa vez ao Senado, pelo Ceará, de acordo com a assessoria. A candidatura depende de decisão do partido. É provável que o secretário-executivo assuma o posto.

ALFREDO NASCIMENTO (PR), TRANSPORTES

-- O ministro sairá do cargo para assumir a presidência do Partido da República (PR). A assessoria informou que é provável candidato ao governo do Amazonas. Sua substituição permanece indefinida.

PEDRO BRITO (PSB), PORTOS

-- Aguarda aval do partido e do presidente da República para decidir pela candidatura à Câmara dos Deputados pelo Ceará, de acordo com a assessoria.

EDSON SANTOS (PT), IGUALDADE RACIAL

-- A assessoria informou que o ministro deve sair candidato à Câmara dos Deputados pelo Rio de Janeiro. O secretário-adjunto, Elói de Araújo, deve subsituir Santos.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello e Bruno Peres)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h59

    -0,09
    3,143
    Outras moedas
  • Bovespa

    11h04

    0,24
    68.878,32
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host