UOL Notícias Notícias
 

31/03/2010 - 11h06

Doadores prometem US$5,3 bi em dois anos ao Haiti

Por Michelle Nichols e Andrew Quinn

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - Países doadores ofereceram bilhões de dólares acima do esperado para ajudar a reconstrução do Haiti depois do terremoto de janeiro, disse nesta quarta-feira o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon.

Segundo ele, os mais de cem países participantes da reunião sobre o tema em Nova York prometeram 5,3 bilhões de dólares nos próximos dois anos, com um total de 9 bilhões de dólares em longo prazo. A ONU esperava angariar 3,9 bilhões de dólares para os próximos dois anos.

A secretária norte-americana de Estado, Hillary Clinton, disse que seu país reservaria 1,15 bilhão de dólares para a recuperação de longo prazo que, segundo ela, deve ser planejada e executada pelo governo haitiano.

"Também temos de comprometer nossos melhores esforços para fazermos o melhor, oferecer nosso apoio de maneira mais inteligente, mais efetiva, que produza resultados reais para o povo do Haiti", disse Hillary.

A reunião desta quarta-feira contou também com a presença do marido de Hillary, o ex-presidente Bill Clinton, representante especial da ONU para o Haiti.

O plano de recuperação do governo do Haiti, país mais pobre das Américas, prevê a descentralização da economia, com a criação de renda e trabalho fora de Porto Príncipe, cidade mais afetada pelo terremoto, com 4 milhões de habitantes.

O primeiro-ministro Jean-Max Bellerive afirmou que o governo precisaria de 350 milhões de dólares nos próximos seis meses para custear seus gastos.

O terremoto de magnitude 7 matou até 300 mil pessoas e destruiu milhares de edifícios, inclusive as sedes de todos os ministérios. O prejuízo no país foi estimado em 8 a 14 bilhões de dólares.

Uma grande preocupação das agências humanitárias é a chegada iminente da temporada de chuvas, que já começaram a atingir os precários acampamentos de desabrigados.

"Precisamos de água, comida, banheiros, saúde, luz e barracas de campanha", disse Silverin Nono, líder eleito do acampamento formado na ladeira chamada Bas-Canaan, ao norte da capital.

Ban disse que a recém-criada Comissão para a Recuperação Haitiana deve distribuir 3,9 bilhões de dólares num prazo de 18 meses, lançando um projeto mais amplo para melhorar serviços básicos de saúde, saneamento, educação e moradia.

O Banco Mundial, gestor das verbas da reconstrução, disse que 79 milhões de dólares serão liberados até junho de 2011, e que isso inclui o cancelamento total da dívida haitiana com a instituição.

(Reportagem adicional de Pascal Fletcher, em Porto Príncipe; de Lou Charbonneau, na ONU; e de Lesley Wroughton, em Washington)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h00

    -0,21
    3,269
    Outras moedas
  • Bovespa

    16h07

    1,47
    62.582,55
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host