UOL Notícias Notícias
 

05/04/2010 - 12h38

Rússia poderá vender US$5 bi em armas à Venezuela, diz Putin

MOSCOU (Reuters) - As vendas de armamentos russos para a Venezuela poderão chegar a um total de 5 bilhões de dólares, disse o primeiro-ministro Vladimir Putin nesta segunda-feira, depois de retornar de uma visita à nação sul-americana.

Putin encontrou-se na sexta-feira com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, em Caracas, para discutir uma cooperação nos setores de petróleo, defesa e energia nuclear, mas nenhum novo acordo para venda de armas foi firmado.

Os Estados Unidos frequentemente demonstram preocupação com a venda de armas russas para a Venezuela, um dos maiores críticos de Washington na América Latina.

Chávez diz que o aumento de seu arsenal tem como objetivo conter um planejado crescimento militar norte-americano na Colômbia, principal aliado dos EUA na região e vizinha da Venezuela.

"Nossa delegação acaba de voltar da Venezuela e o volume total de pedidos pode superar os 5 bilhões de dólares", disse Putin, segundo agências de notícias russas, numa reunião com empresários do setor bélico.

Putin afirmou que o valor inclui uma linha de crédito de 2,2 bilhões de dólares para a compra de armas russas concedida pelo governo de Moscou a Chávez durante visita do presidente venezuelano em setembro.

Com esse montante serão adquiridos tanques T-72 e um avançado sistema anti-aéreo S-300, segundo a agência de notícias RIA. As reportagens não continham mais detalhes.

Nos últimos anos a Venezuela comprou mais de 4 bilhões de dólares em armas da Rússia, desde caças de combate Sukhoi até fuzis Kalashnikov.

Durante sua visita a Moscou em setembro, Chávez reconheceu a independência de duas regiões rebeldes pró-russas na Geórgia, um sucesso diplomático para Moscou. O presidente russo, Dmitry Medvedev, disse à época que a Rússia forneceria à Venezuela todas as armas que eles quisessem.

Chávez deseja reforçar as Forças Armadas da Venezuela com mísseis, tanques e submarinos russos. Ele afirma que precisa se defender do que chama o imperialismo dos EUA na América Latina.

(Por Conor Humphries)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,48
    3,144
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,53
    75.604,34
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host