UOL Notícias Notícias
 

06/04/2010 - 18h21

Chefe da ONU vai pressionar por abolição de armas nucleares

Por Patrick Worsnip

SEMIPALATINSK, Cazaquistão (Reuters) - O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, disse nesta terça-feira, num antigo local de testes nucleares soviéticos, que aproveitará uma cúpula na semana que vem em Washington para pressionar pela abolição total das armas nucleares no mundo.

Essa é uma meta antiga da ONU, e ele disse haver boas razões para acreditar em sua realização, refletindo o otimismo em torno de um novo pacto de redução armamentista entre Estados Unidos e Rússia e da nova estratégia nuclear apresentada nesta semana por Washington.

Ban, em visita a vários países da Ásia Central, voou de helicóptero até o local no Cazaquistão onde a antiga União Soviética realizou quase 500 testes nucleares atmosféricos e subterrâneos entre 1949 e 1989.

O presidente cazaque, Nursultan Nazarbayev, fechou o local em 1991, quando da dissolução da União Soviética. Ele se livrou de mais de cem ogivas nucleares instaladas no Cazaquistão, e um tratado internacional tornando a Ásia Central uma região livre de armas nucleares foi posteriormente assinado nesse local.

"Agora temos uma boa razão para acreditar que a promessa de Semipalatinsk --a abolição de armas nucleares-- se tornará realidade", disse Ban num palanque armado em meio à vasta estepe, ainda pontuada por montes de neve.

Ele lembrou que na quinta-feira os governos dos Estados Unidos e da Rússia vão assinar um novo tratado para reduzir ainda mais os seus arsenais nucleares estratégicos, desenvolvidos ao longo da Guerra Fria.

O presidente norte-americano, Barack Obama, apresentou nesta terça-feira uma revisão da estratégia nuclear do país, sob a qual os Estados Unidos se comprometem a não desenvolver novas armas nucleares, nem usar as já existentes contra Estados que não tenham armas atômicas e que estejam cumprindo fielmente o Tratado de Não Proliferação Nuclear (TNP).

Na semana que vem, Obama será o anfitrião de uma reunião sobre a questão nuclear, num momento em que os Estados Unidos se empenham para conter os programas nucleares do Irã e da Coreia do Norte. Semanas depois, ocorrerá a conferência quinquenal de revisão do TNP.

"Não consigo pensar em um local mais adequado --ou mesmo mais eloquente-- para ouvir essa notícia", disse Ban.

"Na cúpula de segurança nuclear da semana que vem, pedirei aos líderes da Federação Russa e dos Estados Unidos, e a outros líderes de Estados nucleares, que abandonem todas as armas nucleares", declarou ele.

"Hoje aqui em Semipalatinsk, apelo a todos os Estados com armas nucleares que sigam o exemplo do Cazaquistão."

Torres de concreto semidestruídas e muros resistentes a explosões são os únicos restos visíveis do local de testes de Semipalatinsk.

As autoridades locais dizem que cerca de 1,5 milhão de pessoas sofreram efeitos físicos ou psicológicos dos testes nucleares no local. A ONU colabora no processo de descontaminação do solo, dos rios e dos lagos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,21
    3,129
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h35

    0,04
    76.004,15
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host