UOL Notícias Notícias
 

27/04/2010 - 17h43

Decisão do Equador sobre Santos prejudica reaproximação--Uribe

BOGOTÁ (Reuters) - O presidente colombiano, Álvaro Uribe, classificou nesta terça-feira como grave a decisão de um tribunal do Equador que ratificou um mandado de prisão contra seu ex-ministro da Defesa e candidato à Presidência Juan Manuel Santos, e disse que tal medida prejudica a reaproximação entre os dois países.

O Ministério Público do Equador move processo contra Santos, que como ministro da Defesa de Uribe esteve à frente de uma operação militar contra um acampamento da guerrilha Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia na selva equatoriana que matou 24 pessoas, incluindo o líder das Farc, Raúl Reyes.

"Este caso contra o ex-ministro Juan Manuel Santos é extremamente grave, nós temos feito todos os esforços para avançar para o restabelecimento das relações com o Equador e continuaremos fazendo, (mas) essa decisão da justiça equatoriana afeta esse processo", disse Uribe a uma rádio local.

"Tomara que se consiga encontrar um caminho para superar a prisão contra o povo colombiano que significa essa decisão da justiça equatoriana contra o ex-ministro Juan Manuel Santos. Estamos diante de um tema que corresponde ao governo e à sociedade colombiana", acrescentou o presidente.

O presidente do Equador, Rafael Correa, considerou o ataque realizado por militares colombianos em março de 2008 como um massacre que violou a soberania de seu país e decidiu romper as relações diplomáticas com a Colômbia.

Correa evitou se pronunciar sobre a decisão do tribunal, mas considerou como grave as declarações de Santos em que ele assumiu ter liderado o ataque militar.

Apesar de ambos os países terem dado passos em busca de normalizar suas relações, Correa condicionou o processo a que a Colômbia entregue as informações encontradas nos computadores pessoais de Reyes e uma cópia do vídeo da operação militar.

Colômbia e Equador compartilham uma fronteira terrestre de 586 quilômetros, na qual existe uma presença de guerrilheiros de esquerda e grupos de narcotraficantes.

Santos aparece em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto para as eleições de 30 de maio, atrás do candidato independente e ex-prefeito de Bogotá Antanas Mockus.

(Por Luis Jaime Acosta, com reportagem de María Eugenia Tello em Guayaquil)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,13
    3,270
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,51
    63.760,94
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host