UOL Notícias Notícias
 

01/05/2010 - 13h45

Obama visitará Golfo do México para ver esforços contra mancha

Por Matthew Bigg

VENICE (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, visitará o Golfo do México neste fim de semana para apoiar os esforços que tentam evitar um desastre ambiental que pode ser causado por uma grande e crescente mancha de óleo que especialistas dizem estar se movendo para a costa, devido ao vento.

A visita, que autoridades da Casa Branca disseram neste sábado ter a duração de 48 horas, mostrou que Obama está ansioso por ser visto comandando a limpeza e a retenção de um dos piores vazamentos de petróleo da história norte-americana.

Expandida por petróleo jorrando de um poço de águas profundas rompido no Golfo do México, perto da costa da Louisiana, a mancha de 208 quilômetros de comprimento por 112 quilômetros de largura está colocando em perigo o habitat de animais, regiões pesqueiras e praias em quatro Estados, do leste da Louisiana ao noroeste da Flórida.

O vazamento, que ocorreu após a explosão e afundamento de uma plataforma na semana passada, forçou Obama a suspender planos políticos importantes de expandir a exploração de petróleo em mar, divulgados no mês passado em parte para buscar o apoio republicano à legislação climática.

Sua administração está recebendo pressão da BP Plc, dona do poço, para aumentar os esforços para estancar o vazamento de petróleo e conter o aumento da mancha. O custo da operação está estimado em bilhões de dólares.

"Ventos do sul-sudeste continuarão levando a mancha do Golfo do México para a região do delta do Mississipi durante este fim de semana", informou o instituto meteorológico AccuWeather.com neste sábado.

Autoridades locais no delta do rio Mississipi na Louisiana disseram nesta sexta-feira que uma pequena parte da mancha já chegou a algumas ilhas.

Enquanto centenas de barcos e aviões lutam para conter a mancha e dispersá-la com produtos químicos jogados no mar, a Guarda Costeira tenta colocar longas barreiras de contenção em um esforço desesperado para impedir que a manha chegue à costa.

"Temos muitas barreiras ali no momento," afirmou o porta-voz da Guarda Costeira, Matthew Schofield.

Mas, segundo a AccuWeather, a piora do tempo e o mar agitado podem dificultar a limpeza neste fim de semana, enquanto as equipes tentam colocar mais barreiras de contenção.

Louisiana, Mississipi, Alabama e Flórida declararam estado de emergência e pescadores e residentes locais estão processando as companhias que operavam a plataforma.

(Reportagem adicional de Chris Baltimore e Kristen Hays, em Houston, Tom Bergin, em Londres, Phil Stewart, em Washington, Joshua Schnyer e Rebekah Kebede, em Nova York)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host