UOL Notícias Notícias
 

06/05/2010 - 12h50

Buscas por caixas pretas do avião da Air France avançam

Por John Irish

PARIS (Reuters) - A França encontrou o que podem ser as primeiras pistas concretas sobre a localização das caixas pretas desaparecidas após o desastre de um jato da Air France que caiu no Atlântico no ano passado, mas avisou na quinta-feira que não há garantias de que a descoberta leve à recuperação das caixas.

O Ministério da Defesa disse que o avanço resultou de uma análise detalhada das leituras de sonares feitas nas primeiras semanas depois de um jato da Air France ter caído no Atlântico em 1 de junho do ano passado, matando 228 pessoas.

A recuperação das caixas pretas é vista como essencial para ajudar os especialistas em desastres aéreos e os parentes dos mortos a entender exatamente o que levou o voo 447 a mergulhar em um local remoto do Atlântico durante uma tempestade equatorial, quando fazia a trajetória entre Rio de Janeiro e Paris.

"É provável que seja o sinal (das caixas)," disse o general Christian Baptiste, porta-voz interino do Ministério da Defesa.

Faltando pouco para o primeiro aniversário do pior desastre já sofrido pela companhia aérea, a descoberta de um possível sinal de pelo menos um dos gravadores que estavam a bordo do Airbus A330 permitiu aos especialistas reduzir o raio da busca a alguns quilômetros quadrados, dos vários milhares de quilômetros iniciais.

"Isso significa que encontramos as caixas pretas? Ainda estamos longe de termos certeza," disse Baptiste. "A zona de buscas ainda é comparável à área de Paris, e precisamos localizar um objeto do tamanho de uma caixa de sapatos em um leito de mar acidentado, que parece os Andes," disse ele em coletiva de imprensa.

A gravação que pode conter o sinal emitido pelos gravadores, que até agora estava soterrada sob ruídos de fundo, foi feita em 1 de julho, exatamente um mês após o acidente.

Os gravadores de voo, ou caixas pretas, são projetados para emitir sinais de localização por cerca de 30 dias.

"É possível que isto nos ajude a localizar pedaços importantes dos destroços do avião, e, se tivermos muita sorte, uma caixa preta poderá ser encontrada em um desses pedaços," disse Baptiste.

Dois navios sofisticados de busca de destroços, usando minissubmarinos, vêm vasculhando uma área de 3 mil metros quadrados para tentar localizar os gravadores de voo do avião Airbus A330.

Baptiste disse que a busca agora se concentra em uma área a aproximadamente 400 quilômetros a noroeste das ilhas brasileiras de São Pedro e São Paulo.

A Air France qualificou o avanço de "notícia excelente."

A recuperação das caixas pretas vai depender da profundidade em que se encontram os destroços, que podem estar entre 1 e 4 quilômetros de profundidade.

Uma porta-voz do órgão francês de investigação de acidentes aéreos, BEA, disse que a Air France e a Airbus já gastaram cerca de 13 milhões de euros com as buscas, e organismos governamentais franceses, cerca de 15 milhões de euros.

As especulações sobre a causa do acidente focalizam o possível congelamento dos sensores de velocidade do avião, que parecem ter dado leituras inconsistentes segundos antes de o avião desaparecer.

(Reportagem adicional de Thierry Leveque e Elisabeth Pineau)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host