UOL Notícias Notícias
 

12/05/2010 - 13h21

Queda de avião mata 103 na Líbia; menino holandês sobrevive

Por Ali Shuaib

TRÍPOLI (Reuters) - Um Airbus da Líbia caiu na manhã desta quarta-feira quando tentava pousar no aeroporto de Trípoli, matando 103 pessoas a bordo, em sua maioria holandeses, e deixando um único sobrevivente, um menino holandês, anunciaram autoridades.

O Airbus A330-200, que estava em uso apenas desde setembro, voava de Johanesburgo à capital da Líbia quando caiu pouco antes da pista de pouso, por volta das 6h00 pelo horário local (1h00 de Brasília), anunciaram a companhia aérea e a empresa fabricante do avião.

O primeiro-ministro holandês, Jan Peter Balkenende, disse que várias dezenas de passageiros holandeses estavam no avião. As autoridades líbias informaram que 22 das vítimas eram líbias, mas não deram detalhes sobre as nacionalidades de outros pessoas no avião.

"Morreram todos menos uma criança", disse o ministro líbio dos Transportes, Mohamed Zidan, em coletiva de imprensa no aeroporto de Trípoli. O avião levava 93 passageiros e 11 tripulantes, disseram autoridades líbias e executivos da companhia aérea.

O ministro disse que as causas do desastre estão sendo investigadas, mas excluiu a possibilidade de ato terrorista.

Ele disse aos jornalistas que o sobrevivente é uma criança holandesa de 10 anos que não corre risco de vida. "A criança está em boas condições e se encontra no hospital, passando por exames médicos", disse ele.

Fotos feitas pela Reuters no local do acidente mostram o chão recoberto de pequenos destroços do avião e dos objetos pessoais dos passageiros, incluindo um guia de turismo da África do Sul em língua holandesa.

Apenas a cauda do avião, decorada com o logotipo vermelho, verde e amarelo da empresa aérea estatal Afriqiyah Airways, estava mais ou menos intacta.

Um repórter da Reuters no aeroporto disse que ambulâncias estavam levando os corpos das vítimas aos necrotérios de hospitais. Autoridades líbias disseram ter recuperado dezenas de corpos.

Um porta-voz da Associação de Motoristas Holandeses ANWB, que tem um serviço de auxílio de emergência para holandeses no exterior, disse que 61 holandeses morreram no acidente.

Saleh Ali Saleh, do departamento jurídico da companhia aérea, disse à Reuters pelo telefone que as caixas-pretas da aeronave foram recuperadas e que a investigação das causas do acidente já começou.

"As mortes provavelmente se deram pelo impacto, já que não ouvi nenhuma notícia sobre um incêndio. O avião estava em alta velocidade, já que ainda não tinha chegado à pista de pouso quando caiu", disse Saleh.

A empresa Airbus divulgou comunicado confirmando que fabricou o avião envolvido no desastre. "A Airbus dará assistência técnica total às autoridades responsáveis pela investigação deste acidente", disse ela.

O avião que caiu saiu da linha de produção em setembro de 2009 e tinha acumulado aproximadamente 1.600 horas de voo em cerca de 420 voos, disse a Airbus.

A aeronave é do mesmo tipo do avião do voo 447 da Air France que caiu no Atlântico em 1 de junho do ano passado. A causa do acidente do voo da Air France ainda não foi determinada claramente.

(Reportagem adicional de Raissa Kasolosky em Dubai, Peroshni Govender em Johanesburgo, Tom Pfeiffer em Rabat, Harro ten Wolde e Aaron Gray-Block em Amsterdã e Tim Hepher em Paris)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host