UOL Notícias Notícias
 

12/05/2010 - 16h27

Rússia tem expectativa da visita de Lula ao Irã--diplomata

Por Fernando Exman

MOSCOU (Reuters) - O governo russo tem grande expectativa em relação à viagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Irã, afirmou nesta quarta-feira o embaixador do Brasil na Rússia, Carlos Antonio da Rocha Paranhos.

Lula visitará Moscou entre quinta e sexta-feira, de onde segue para o Catar. Em seguida, vai a Teerã entre os dias 15 e 17. Lula tenta em sua visita ao Irã conquistar para o Brasil um maior espaço político na cena internacional, embora o movimento seja visto com ceticismo por outros países e setores da opinião pública doméstica.

Lideradas pelos EUA, potências ocidentais acusam Teerã de buscar a fabricação de armas nucleares e defendem a aplicação de novas sanções contra o país persa pela Organização das Nações Unidas (ONU). O governo do presidente Mahmoud Ahmadinejad nega ter tal intenção, alegando que seu programa nuclear tem fins pacíficos. As potências ocidentais alertam que o Irã está aproveitando a iniciativa do Brasil para ganhar tempo na disputa.

"Tem muita expectativa (por parte do governo russo) na visita do presidente", disse o embaixador a jornalistas. "Acho que hoje não se pode dizer que a Rússia apoiaria automaticamente novas sanções."

A Rússia, que tem poder veto no Conselho de Segurança da ONU, é um dos protagonistas nas negociações sobre o programa nuclear iraniano.

O Brasil mantém um programa nuclear para fins pacíficos, sobretudo para gerar eletricidade, tem em sua Constituição um veto ao uso da tecnologia para a construção de armas nucleares e defende que o Irã tenha o mesmo direito.

Segundo o diplomata brasileiro, a Rússia também tem argumentado que há ainda espaço para negociações com a República Islâmica e não apoiaria sanções que "paralisem a economia ou criem problemas sérios para a população".

"A Rússia tem uma relação muito tradicional e intensa com o Irã, inclusive relações comerciais importantes", comentou Paranhos. "A Rússia tem também uma parceria nuclear (com o Irã)."

Além de tratar da questão iraniana, Lula e o presidente russo, Dmitry Medvedev, assinarão na sexta-feira um plano de ação listando as principais áreas em que as relações bilaterais devem avançar nos próximos anos. Uma delas é a cooperação no setor de energia.

Segundo o embaixador, os russos acreditam que podem aproveitar a exploração da camada pré-sal para fechar negócios na área de liquefação de gás natural e construção de meios para transportar o gás explorado em alto mar até o continente. A Gazprom, estatal russa do setor, prevê abrir um escritório no Rio de Janeiro.

Os russos também têm o interesse em construir pequenas usinas nucleares para a geração de eletricidade no Brasil, disse Paranhos. Mas nenhum acordo específico no segmento será assinado durante a visita de Lula a Moscou. "Isso vai ter que ser objeto de entendimento entre empresas", explicou.

Os dois presidentes anunciarão também que o acordo de isenção de vistos assinado em 2008 entrará em vigor em junho.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host