UOL Notícias Notícias
 
16/05/2010 - 16h42 / Atualizada 16/05/2010 - 16h42

PV lança Marina à Presidência e anuncia empresário para vice

SÃO PAULO (Reuters) - Em terceiro lugar nas pesquisas de intenção de voto, a senadora Marina Silva teve sua pré-candidatura à Presidência da República lançada neste domingo pelo Partido Verde (PV), que confirmou o empresário Guilherme Leal, sócio da empresa de cosméticos Natura, como vice na chapa.

Leal se filiou no ano passado ao PV e desde então vem acompanhando a campanha do partido e participando dos compromissos da pré-candidata.

O PV escolheu Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, região carente do Rio de Janeiro, para o lançamento. O local contrasta com os eventos das pré-candidaturas de José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), ambos ocorridos em Brasília.

Gilberto Gil, cantor e compositor também do PV, foi ao evento no Rio e adaptou a letra da música "Anda com Fé" ao momento, trocando a palavra fé por Marina.

Ex-ministra do Meio Ambiente do governo Lula (2003-2008), ela obteve repercussão internacional por sua postura contrária ao desmatamento da região amazônica e leva para a corrida presidencial a agenda verde.

Marina deixou a pasta do Meio Ambiente após se ver pressionada a dar o aval ambiental a projetos de infraestrutura do Executivo. Também se sentiu desprestigiada com a entrega de planos, como o da Amazônia Sustentável, a outro ministério.

Sua entrada na corrida presidencial, anunciada em 2009, incentivou o governo Lula a tomar medidas consideradas "ambientalistas".

Entre essas ações, prorrogou a redução de IPI para eletrodomésticos da linha branca para aqueles que consomem menos energia elétrica. Também estendeu a prorrogação do incentivo fiscal para veículos menos poluentes.

Ao mesmo tempo, Lula enviou em dezembro à Conferência do Clima, onde foram apresentadas as metas de redução de gases poluentes, a então ministra-chefe da Casa Civil Dilma Rousseff.

Mesmo tendo participado do governo Lula, Marina tem criticado iniciativas como o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Para ela, o programa voltado à infraestrutra da gestão Lula tem visão equivocada e as obras não se preocupam devidamente com o impacto social e ambiental.

Já quando o assunto é principal programa social do país, o Bolsa Família, a senadora defende seu aperfeiçoamento e sugere uma "terceira geração" que inclua profissionalização.

Nascida em um seringal no Acre, Marina, de 52 anos, alfabetizou-se apenas aos 16 anos. Seu primeiro emprego foi de empregada doméstica. Aos 26 anos formou-se em História pela Universidade Federal do Acre. Pelas condições do local onde viveu, contraiu doenças como malária e hepatite.

Religiosa, iniciou sua atividade política e social por meio da Igreja Católica, ingressando no PT nos anos 1980. Foi vereadora e deputada federal antes de obter a vaga no Senado. Depois de assumir a candidatura à Presidência, no passado, ela deixou o PT para ingressar no PV. Trocou também o catolicismo pela Assembleia de Deus.

Também foram lançadas neste domingo as pré-candidaturas do deputado federal Fernando Gabeira ao governo do Rio de Janeiro e da vereadora Aspásia Camargo ao Senado.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,48
    3,144
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,53
    75.604,34
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host