UOL Notícias Notícias
 
24/05/2010 - 20h35 / Atualizada 24/05/2010 - 20h35

Governo dos EUA aumenta pressão sobre BP para conter vazamento

Por Matthew Bigg

GALLIANO, Estados Unidos (Reuters) - O governo dos Estados Unidos ampliou nesta segunda-feira a pressão sobre a British Petroleum para resolver a "enorme bagunça ambiental" no Golfo do México, cinco semanas depois do início do vazamento em um poço de petróleo.

A empresa britânica, dona do poço, diz que está fazendo de tudo para tapar o vazamento, no que ameaça ser o pior derramamento de óleo da história dos Estados Unidos. A BP disse que fará na quarta-feira uma nova tentativa de estancar o vazamento, mas que as chances de sucesso são de apenas 60-70 por cento.

Desde o acidente, em 20 de abril, a BP já perdeu cerca de 25 por cento do seu valor de mercado -- quase 50 bilhões de dólares.

O presidente norte-americano, Barack Obama, diz que o vazamento representa uma catástrofe ambiental sem precedentes para o país, já que ameaça manguezais e refúgios naturais na costa sul do país. Também há graves prejuízos para atividades econômicas, como a pesca e o turismo.

O secretário do Interior dos Estados Unidos, Ken Salazar, disse a jornalistas após visitar a região que "esta é uma bagunça da BP (...), uma enorme bagunça ambiental." Segundo ele, a empresa é juridicamente responsável por conter o vazamento, limpar seus efeitos e arcar com as consequências econômicas. "Vamos manter nossa bota no pescoço deles até que o trabalho seja feito", afirmou.

Salazar disse que uma investigação em andamento deve responsabilizar a BP "civilmente e de qualquer forma que seja necessária", o que sugere a possibilidade de um inquérito criminal.

O secretário havia alertado no domingo que a BP poderia ser afastada das tarefas de contenção do petróleo, mas fontes do governo admitiram que só as empresas de petróleo detêm a tecnologia para essa tarefa.

O almirante Thad Allen, chefe da equipe governamental de reação ao desastre, afirmou que a BP está esgotando todos os "meios técnicos possíveis" para conter o vazamento. "Tirar a BP do caminho despertaria a questão de substituí-los com o quê?", disse Allen na Casa Branca.

O acidente criou um problema político para Obama, já que muitos eleitores podem querer punir os democratas na eleição de novembro, mesmo que o partido não tenha responsabilidade pelo acidente.

Uma pesquisa CNN/Opinion Research Corporation, feita por telefone entre os dias 21 e 23, mostrou que 51 por cento dos norte-americanos estão descontentes com a forma como Obama tem lidado com o acidente.

(Reportagem adicional de Sarah Young, em Londres; de Susan Heavey, em Washington; de Pascal Fletcher, em Miami; de Tom Bergin e Chris Baltimore, em Houston)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,31
    3,266
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,60
    62.662,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host