UOL Notícias Notícias
 
24/05/2010 - 09h28 / Atualizada 24/05/2010 - 09h28

Irã detalha acordo de troca de combustível para agência da ONU

VIENA (Reuters) - O Irã detalhou nesta segunda-feira à agência nuclear da Organização das Nações Unidas (ONU) um acordo sob o qual se compromete a entregar parte de seu urânio enriquecido. A República Islâmica classificou o acordo como um passo importante no caminho da solução de um impasse com potências mundiais que agora buscam a imposição de sanções ao Irã.

Uma carta assinada pelo chefe do programa nuclear do Irã, Ali Akbar Salehi, foi entregue ao secretário-geral da Agência Internacional de Energia Atômica, Yuliya Amano, durante reunião de 45 minutos em Viena, disse um diplomata iraniano a jornalistas sem dar mais detalhes.

A emissora de TV estatal em língua árabe do Irã al-Alam citou trechos da carta de Salehi na qual ele afirma que o acordo é "um grande passo adiante" na direção de acabar com as preocupações sobre o programa nuclear do país. Não houve comentário imediato da AIEA.

O acordo para enviar urânio de baixo enriquecimento em troca do combustível necessário para operar um reator de pesquisas médicas tem o objetivo de reduzir os temores de que o Irã possa juntar material suficiente para a fabricação de armas nucleares. O pacto foi mediado pelo Brasil e pela Turquia.

Sob o plano, o Irã transferirá 1.200 quilos de urânio de baixo enriquecimento, o suficiente para uma bomba se enriquecido na quantidade certa, para a Turquia em troca de combustível nuclear para seu reator médico.

Mas as potências mundiais expressaram dúvidas sobre a validade do acordo, baseado em uma proposta feita sete meses antes pela AIEA, pois os estoques iranianos de urânio de baixo enriquecimento já cresceu muito desde então, o que pode deixar material suficiente para a construção de uma bomba.

O Irã também já iniciou o refino de urânio em um grau maior.

O porta-voz do Ministério do Exterior do Irã, Ramin Mehmanparast, disse que Irã aceitou o acordo de troca de combustível nuclear para mostrar boa fé aos esforços de reduzir as tensões sobre seu programa nuclear, que o país reitera ser inteiramente pacífico.

"O Irã aceitou as condições para criar uma atmosfera baseada na confiança e na cooperação", disse Mehmanparast em entrevista coletiva durante visita a Istambul.

Ele disse que Teerã espera a aprovação do grupo de países de Viena que, pelo acordo, devem fornecer urânio enriquecido em 20 por cento em troca do urânio enriquecido em 3,5 por cento, que será enviado à Turquia.

"Vamos chegar a um acordo com o grupo após a discussão de todos os detalhes técnicos e oficiais estar completa. Um possível acordo com o grupo de Viena... que dará uma solução política e pacífica para todo o mundo."

O acordo original, mediado entre Irã, Estados Unidos, França e Rússia em outubro, naufragou por conta de divergências sobre detalhes.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, disse na sexta-feira esperar que o novo acordo abra caminho para uma solução negociada.

Mas os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU concordaram com um novo conjunto de sanções contra o Irã que Washington entregou ao Conselho de Segurança na semana passada.

(Reportagem adicional de Robin Pomeroy em Teerã)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h40

    -0,68
    3,151
    Outras moedas
  • Bovespa

    16h48

    0,41
    68.635,88
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host