UOL Notícias Notícias
 
25/05/2010 - 20h47 / Atualizada 25/05/2010 - 20h47

Nasrallah ameaça atacar navios em Israel em caso de guerra

Por Mariam Karouny

BEIRUTE (Reuters) - O chefe do grupo libanês Hezbollah, Sayyed Hassan Nasrallah, disse nesta terça-feira que a organização xiita atacaria todos os navios militares, civis e comerciais destinados à costa do Mediterrâneo de Israel em qualquer guerra futura.

"Se você (Israel) colocar nossa costa sob cerco em qualquer guerra futura, eu digo que todos os navios militares, civis e comerciais destinados à costa palestina no Mediterrâneo estarão sob fogo dos combatentes da resistência islâmica", disse ele em um vídeo durante cerimônia que marcou o décimo aniversário da retirada de Israel do sul do Líbano.

No início deste ano, Nasrallah ameaçou atingir o aeroporto Ben Gurion, em Israel, se o Estado judeu atacar o aeroporto internacional de Beirute em qualquer conflito futuro.

"(Para) estes navios que irão a qualquer porto na costa palestina do norte ao sul, (eu digo que) somos capazes de atingi-los e estamos determinados a fazê-lo... se eles cercarem nossa costa", disse ele.

"Quando o mundo testemunhar como estes navios serão destruídos em águas regionais palestinas ninguém se atreverá a ir até lá assim como bloquear (outros) de chegarem à nossa costa", disse ele a milhares de simpatizantes.

Os comentários de Nasrallah coincidem com um exercício de cinco dias em Israel, iniciado no domingo, para testar a preparação do Estado judeu contra possíveis ataques a mísseis da Faixa de Gaza e do Hezbollah, no Líbano.

Israel tem realizado exercícios de defesa civil anualmente há três anos e autoridades militares dizem que a atividade atual é a maior nos 62 anos de história do país.

O Hezbollah travou uma guerra de 34 dias com Israel em 2006 após o grupo ter capturado dois soldados israelenses em uma operação na fronteira. Cerca de 1.200 pessoas no Líbano, na maioria civis, e 160 israelenses, na maioria soldados, morreram no conflito.

Israel atacou subúrbios de Beirute e o sul do Líbano, de maioria xiita, onde o Hezbollah mantém seu reduto e de onde Israel se retirou em 2000.

Os ataques de Israel também atingiram pontes, estradas, aeroportos, portos, indústrias, redes de energia e abastecimento de água, e instalações militares.

A tensão é alta na região após Israel ter acusado a Síria em abril de fornecer ao Hezbollah mísseis Scud de longo alcance. Damasco negou a afirmação e acusou Israel de estar fomentando uma guerra.

Nasrallah negou-se a confirmar ou negar que seu grupo obteve mísseis Scud da Síria.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host