UOL Notícias Notícias
 
25/05/2010 - 21h48 / Atualizada 25/05/2010 - 21h48

Obama envia tropas e reforça segurança na fronteira com México

Por Patricia Zengerle

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pedirá ao Congresso meio bilhão de dólares para a segurança na fronteira com o México e enviará até 1.200 soldados da Guarda Nacional para a região, cedendo a apelos de políticos democratas e republicanos, segundo uma fonte do governo.

Obama quer o apoio da oposição republicana para reformar as leis de imigração, assunto que ganhou urgência com uma nova lei do Arizona que criminaliza a imigração clandestina, causando tensão nas relações EUA-México.

A fonte oficial disse que os soldados serão responsáveis por tarefas de apoio a inteligência, vigilância e reconhecimento, por análise de informações, apoio imediato ao policiamento antidrogas e treinamento até que o departamento de Alfândega e Patrulha Fronteiriça possa recrutar e treinar mais oficiais e agentes.

As verbas serão usadas para reforçar a tecnologia na fronteira e o compartilhamento de informações e colaboração entre vários órgãos legais no combate ao tráfico ilegal de pessoas, drogas, armas e dinheiro.

A questão da imigração --inclusive a lei do Arizona-- foi o principal tema da visita oficial do presidente do México, Felipe Calderón, a Washington, na semana passada. Ele disse que a lei institucionaliza a discriminação contra estrangeiros, por determinar que a polícia deve pedir documentos de quem despertar "suspeitas razoáveis" de ser um imigrante clandestino.

Autoridades mexicanas disseram nesta terça-feira que respeitam a decisão de Obama, mas que Washington deveria tentar resolver os problemas oriundos do seu lado da fronteira.

"O governo mexicano considera que essa decisão (...) deveria se traduzir na canalização de recursos adicionais para tornar mais efetivos os esforços para combater o tráfico de armas ilegais e dinheiro para o México", disse a chancelaria mexicana em nota.

O México também citou a "responsabilidade compartilhada" na luta contra as quadrilhas de traficantes ao longo da fronteira. Os cartéis travam entre si e contra as forças oficiais uma guerra que já deixou mais de 20 mil mortos nos últimos anos.

Os dois senadores do Arizona, John McCain e Jon Kyl, e a governadora Jan Brewer --os três republicanos-- haviam pedido a Obama que desse mais apoio federal à fronteira. Atualmente há 344 soldados da Guarda Nacional dos EUA atuando junto à fronteira com o México.

(Reportagem adicional de Tim Gaynor, em Phoenix; de Steve Holland e Tom Ferraro, em Washington; e de Miguel Angel Gutierrez, na Cidade do México)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,59
    3,276
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,54
    61.673,49
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host