UOL Notícias Notícias
 
27/05/2010 - 21h27 / Atualizada 27/05/2010 - 21h27

Militares colombianos entram em alerta para eleição

Por Luis Jaime Acosta

BOGOTÁ (Reuters) - As Forças Armadas da Colômbia entraram em alerta máximo na quinta-feira, a três dias de uma eleição presidencial que, segundo a Defensoria do Povo, pode ser alvo de sabotagens.

As guerrilhas das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e do Exército de Libertação Nacional (ELN) historicamente realizam ações violentas durante eleições, para demonstrar seu poder e ganhar protagonismo político, segundo analistas.

Desta vez, a Colômbia vive a disputa presidencial mais acirrada dos últimos anos, entre o ex-ministro da Defesa Juan Manuel Santos e o ex-prefeito de Bogotá Antanas Mockus.

A polícia e as Forças Armadas informaram que mais de 400 mil soldados estarão mobilizados para proteger candidatos, eleitores e seções eleitorais em todo o país.

Volmar Pérez, o defensor do povo, disse à Reuters que, além da guerrilha Farc, a principal ameaça à eleição parte de "novas estruturas à margem da lei, que surgiram após a desmobilização das antigas autodefesas (milícias de direita)."

(Reportagem de Luis Jaime Acosta)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    14h00

    -0,54
    3,119
    Outras moedas
  • Bovespa

    14h01

    -0,62
    75.505,30
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host