UOL Notícias Notícias
 
25/06/2010 - 08h31 / Atualizada 25/06/2010 - 08h31

Italianos fazem greve contra plano de austeridade de Berlusconi

Por Daniel Flynn

ROMA (Reuters) - O maior sindicato da Itália realiza uma greve geral nesta sexta-feira interrompendo serviços de transporte e governamentais num protesto contra as medidas de austeridade do governo de centro-direita do primeiro-ministro Silvio Berlusconi.

O esquerdista CGIL, que tem seis milhões de membros, pediu manifestações em quase todas as grandes cidades italianas na tentativa de forçar o governo a reescrever um pacote de 25 bilhões de euros de cortes, que Berlusconi afirma ser parte essencial dos esforços europeus para salvar o euro.

"Ninguém nega que precisamos realizar cortes, mas eles têm de ser cortes justos e que olhem para o futuro", disse Susanna Camusso, que lidera a marcha no reduto esquerdista de Bolonha.

A greve é um teste-chave de força para Berlusconi, cujos números em pesquisas chegaram a baixas recordes num momento em que o desemprego subiu e que a terceira maior economia da zona do euro luta para sair da sua pior recessão desde o pós-Segunda Guerra Mundial.

No entanto, o apoio inicial à greve parecia reduzido, com vários serviços de ônibus e metrô em Roma funcionando normalmente e muitos italianos comuns expressando incômodo.

"Há sempre mais e mais ônibus que não entram em greve, porque claramente você entra em greve para ganhar alguma coisa e parece que nunca ganhamos nada", disse o motorista Maurizio Rinaldi na estação de Termini, em Roma, onde passageiros faziam fila debaixo de sol.

(Reportagem adicional de Philip Pullella e Gabriele Pileri)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    11h29

    0,19
    3,285
    Outras moedas
  • Bovespa

    11h31

    0,71
    63.708,31
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host