UOL Notícias Notícias
 
26/06/2010 - 11h05 / Atualizada 26/06/2010 - 11h05

Após violência, medo reina antes de plebiscito no Quirguistão

Por Maria Golovnina

OSH, Quirguistão (Reuters) - Autoridades no Quirguistão fizeram os últimos preparativos no sábado para um plebiscito constitucional num clima de medo depois que o país viveu algumas das cenas de pior violência étnica da sua história contemporânea.

O presidente interino Roza Otunbayeva, que assumiu o poder depois que protestos derrubaram o presidente Kumanbek Bakiyev, negou-se a atender pedidos para adiar o plebiscito depois dos confrontos violentos entre uzbeques e quirguizes.

Ao menos 275 pessoas, provavelmente centenas mais, morreram nos confrontos e centenas de milhares de pessoas foram desalojadas. Há partes da região sul, mais instável, que continuam em ruínas.

Otunbayeva diz que o plebiscito deve ser realizado para criar um novo sistema de governo que dará mais poder a um Parlamento democrático, uma mudança dramática na região da Ásia Central, onde é comum que os presidentes tenham ligação com o antigo regime soviético.

Perto do centro da cidade de Osh, uma escola de elite para quirguizes da era soviética continuou intacta apesar dos vários dias de confrontos duros. A escola preparava-se para o plebiscito com um novo grupo de autoridades eleitorais quirguizes checando as urnas numa sala de álgebra.

"Atualmente, há apenas caos em Osh. Precisamos acabar com isso tudo, por isso é que queremos esse referendo", disse a presidente da zona eleitoral, Ainura Esmatova.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host