UOL Notícias Notícias
 
26/06/2010 - 19h04 / Atualizada 26/06/2010 - 19h44

Gyan marca na prorrogação e Gana mantém sonho africano na Copa

Por Mark Gleeson

RUSTEMBURGO (Reuters) - Um ataque espetacular de Asamoah Gyan na prorrogação colocou Gana nas quartas de final da Copa do Mundo após a vitória por 2 x 1 sobre os Estados Unidos, neste sábado.

Gyan recebeu um passe profundo do meio-campo, passou por dois defensores e disparou um chute venenoso, que fez Gana igualar a melhor performance de um time africano na Copa do Mundo.

O gol aconteceu depois de Gana sofrer longa pressão dos norte-americanos, com as seleções indo para a prorrogação depois do empate em 1 x 1 no tempo regulamentar.

Gana, que enfrenta o Uruguai pelas quartas de final na sexta-feira, no Soccer City, em Johanesburgo, é apenas a terceira seleção africana a chegar a esta fase do Mundial depois de Camarões em 1990 e Senegal, em 2002.

"Sou o homem mais feliz do mundo", disse Gyan após a partida. "Fico satisfeito que a África esteja feliz com nossa classificação para as quartas de final. Deixamos a África orgulhosa, não somente Gana, mas toda a África."

Os Estados Unidos lutaram muito depois de um primeiro tempo lento, quando viram Kevin-Prince Boateng abrir o placar para o adversário aos cinco minutos de jogo.

Landon Donovan, que foi o herói da dramática classificação norte-americana às oitavas-de-final no meio da semana, empatou com uma cobrança de pênalti aos 17 minutos da etapa complementar.

Boateng, que nasceu na Alemanha, roubou a bola de Ricardo Clark no meio-de-campo e arrancou em direção ao gol, chutando da entrada da área e abrindo o placar para Gana. Um perfeito começo para a última seleção africana nesta Copa do Mundo.

O jovem defensor de Gana Jonathan Mensah cometeu pênalti aos 17 minutos do segundo tempo ao derrubar Clint Dempsey dentro da área.

Donovan cobrou o pênalti na direita, a bola ainda tocou a trave antes de dar o merecido empate aos norte-americanos, que, de repente, encontraram sua energia para colocar em prática sua habitual atuação na etapa final.

Jozy Altidore poderia ter feito o gol da vitória norte-americana a dez minutos do final do tempo regulamentar depois de se livrar dos defensores de Gana, mas mandou a bola para longe.

Depois do gol de Gyan, seu terceiro no torneio, Benny Feilhaber, que veio do banco, teve um chute bloqueado enquanto os norte-americanos buscavam o empate novamente, mas não era para ser.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host