UOL Notícias Notícias
 
30/06/2010 - 19h01 / Atualizada 30/06/2010 - 19h01

Petraeus é confirmado como novo comandante no Afeganistão

Por Susan Cornwell e Phil Stewart

WASHINGTON (Reuters) - O Senado dos EUA aprovou por unanimidade na quarta-feira a indicação do general David Petraeus para comandar as forças do país no Afeganistão, onde o governo espera que ele tenha o mesmo sucesso que obteve no Iraque.

Petraeus é visto por alguns analistas como a última e melhor esperança do presidente Barack Obama para salvar a missão no Afeganistão. Seu antecessor, Stanley McChrystal, foi demitido na semana passada, por causa de críticas feitas por ele e por subordinados a autoridades civis, numa reportagem da revista Rolling Stone.

O apoio unânime dos 99 senadores ocorreu apesar das preocupações de ambos os partidos sobre o rumo desse impopular conflito, onde o número de baixas militares tem crescido neste ano.

"Independentemente de quem esteja no comando, a atual estratégia do presidente no Afeganistão é contraproducente," disse o senador democrata Russ Feingold ao dar seu voto, após salientar que Petraeus está "claramente qualificado" para o trabalho.

Muitos consideram que Petraeus conseguiu evitar uma guerra civil sectária no Iraque, onde foi comandante até 2008. Mas durante a audiência no Senado ele minimizou as expectativas de uma rápida melhora da situação no Afeganistão, onde a guerra já dura quase nove anos.

Ele disse também que vai reavaliar as regras de combate que, segundo críticos, colocam as unidades dos EUA em risco desnecessário numa tentativa de proteger civis afegãos, o que foi um ponto importante para os parlamentares, preocupados com a impopularidade do conflito em ano de eleições parlamentares nos EUA.

Obama elogiou o Senado pela rápida tramitação do nome de Petraeus, de modo que os EUA "não percam o ritmo na sua estratégia para quebrar o impulso do Taliban e construir uma capacidade (militar) afegã."

No mesmo dia, o Taliban cometeu um ataque letal contra a maior base aérea da Otan no leste do Afeganistão. Junho já é o mês mais sangrento da guerra para as forças estrangeiras, com mais de cem soldados estrangeiros mortos. Desde o começo do ano, foram 320 militares mortos; em 2009, foram 520, segundo o site icasualties.com.

A substituição de McChrystal por Petraeus foi a maior alteração militar no mandato de Obama. O general é o terceiro ocupante do cargo desde a posse de Obama, em janeiro de 2009.

(Reportagem adicional de Adam Entous e Patricia Zengerle)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host