UOL Notícias Notícias
 
08/07/2010 - 16h42 / Atualizada 08/07/2010 - 16h42

Dissidente cubano Fariñas encerra greve de fome, diz oposição

HAVANA (Reuters) - O dissidente cubano Guillermo Fariñas encerrou nesta quinta-feira uma greve de fome de 135 dias com a qual exigia a libertação de presos políticos doentes, disse uma fonte da oposição, um dia depois do anúncio oficial de que Cuba deve libertar 52 prisioneiros.

A decisão de Fariñas, um psicólogo de 48 anos, é outro sinal importante que reduziria ainda mais a pressão internacional que pesa sobre as autoridades comunistas da ilha em relação aos direitos humanos.

"Neste momento, Guillermo Fariñas encerrou a greve de fome e de sede", disse a esposa do dissidente Héctor Palacios a jornalistas depois de atender a uma ligação de seu marido, que está junto a Fariñas na unidade de terapia intensiva de um hospital.

Fariñas começou seu jejum com a morte, em fevereiro, do preso político Orlando Zapata depois de 85 dias em greve de fome como protesto por melhores condições carcerárias.

(Reportagem de Nelson Acosta)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host