UOL Notícias Notícias
 
09/07/2010 - 17h44 / Atualizada 09/07/2010 - 17h44

Governador da oposição na Bolívia corre risco de ser suspenso

LA PAZ (Reuters) - O principal governador da oposição da Bolívia, Rubén Costas, do departamento de Santa Cruz, ficou perto de ser suspenso indefinidamente nesta sexta-feira por ter denunciado, até agora sem provas, que o vice-presidente Alvaro García recebia dinheiro do narcotráfico.

A possibilidade de suspensão do governador de direita, com risco de uma nova onda de confrontos políticos, foi levantada depois que o governo de esquerda de Evo Morales anunciou que o vice-presidente apresentará uma denúncia no Ministério Público para que Costas seja processado por desacato.

Se a promotoria emitir uma acusação formal, em um prazo não determinado, Costas será suspenso durante o andamento do julgamento, deixando a oposição conservadora sem um de seus líderes que foi eleito recentemente como o primeiro governador autônomo de Santa Cruz, o reduto da direita local.

"Neste crime de desacato não há retratação possível, não há um pedido de desculpa. É um crime contra a função pública, contra a autoridade legal e democraticamente constituída", disse em entrevista coletiva o ministro da Defesa, Rubén Saavedra.

Costas, quem como prefeito de Santa Cruz liderou nos últimos quatro anos violentos protestos e até uma suposta tentativa de golpe contra Morales, é um dos três governadores opositores eleitos em abril, quando a Bolívia entrou em um regime de autonomias. Os outros seis são governistas.

Confirmando a decisão de García de processar o governador, Saavedra advertiu que "a única maneira possível de acabar com esse processo é mediante uma sentença judicial", que em caso de ser condenatória implicaria até três anos de prisão.

(Reportagem de Carlos A. Quiroga L.)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,40
    3,279
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,95
    63.257,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host