UOL Notícias Notícias
 
16/07/2010 - 08h55

Ataque suicida de rebeldes mata 28 em mesquita no Irã

TEERÃ (Reuters) - Dois suicidas mataram pelo menos 28 pessoas, inclusive membros da Guarda Revolucionária, numa importante mesquita xiita no sudeste do Irã, semanas depois de um rebelde sunita ser enforcado na região.

O grupo rebelde sunita Jundollah assumiu a autoria dos ataques na quinta-feira, afirmando à emissora Al Arabiya em email que foi uma retaliação à execução pelo Irã em junho do líder do grupo, Abdolmalek Rigi.

O Jundollah afirma lutar pelos direitos da minoria sunita do Irã. A liderança clerical do país acusa os Estados Unidos, seu arquiinimigo, de apoiar o Jundollah para criar instabilidade no Irã. Washington nega a acusação.

As bombas explodiram perto da Grande Mesquita na cidade de Zahedan, lançando pedaços de corpos no local sagrado. O Jundollah disse que o ataque foi realizado por parentes de Rigi, que tinham como alvo uma reunião de membros da Guarda Revolucionária.

"O grupo disse que os ataques suicidas foram realizados por Abdolbaset Rigi e Mohammad Rigi... e alertou para mais operações", disse a Al Arabiya, sediada em Dubai.

O vice-ministro do Interior do Irã responsável pela segurança, Ali Abdollahi, disse que "vários membros da Guarda Revolucionária foram mortos ou feridos", segundo a agência de notícias semi-oficial Fars.

O Irã decretou três dias de luto oficial na província, disse a agência de notícias oficial IRNA.

O Irã trava uma disputa com os Estados Unidos e seus aliados sobre o programa nuclear da República Islâmica, que o Ocidente suspeita ter objetivo de construir armas atômicas. Autoridades iranianas negam e afirmam que o objetivo é geração de energia.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,95
    3,157
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h28

    -1,26
    74.443,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host