UOL Notícias Notícias
 
16/07/2010 - 19h25

Guerra das drogas já matou 7.000 no México em 2010

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - Os assassinatos relacionados ao narcotráfico no México já superam os 7.000 desde o começo do ano, disse na sexta-feira o procurador-geral Arturo Chávez.

Segundo Chávez, desde que o presidente Felipe Calderón assumiu o cargo e declarou guerra ao narcotráfico, em dezembro de 2006, já ocorreram 24.826 mortes nos confrontos entre os cartéis da droga, e destes contra as forças do Estado.

Em várias regiões, especialmente em Ciudad Juárez, na fronteira com os EUA, a situação é descontrolada, apesar da presença de milhares de policiais e soldados.

"O problema que nos afeta (...) foi gestado talvez ao longo de décadas. Acho que a solução também vai demorar", disse o procurador-geral a jornalistas.

A estratégia do governo tem sido questionada por causa da violência que tem gerado, resultando na morte de muitos civis inocentes, inclusive crianças apanhadas no fogo cruzado. Críticos dizem também que a falta de segurança tem afugentado investidores do país.

(Reportagem de Miguel Angel Gutiérrez)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    15h59

    0,17
    3,271
    Outras moedas
  • Bovespa

    16h06

    -0,58
    63.716,31
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host