UOL Notícias Notícias
 
24/07/2010 - 11h30

Al Qaeda reivindica responsabilidade por ataques no Iraque

BAGDÁ (Reuters) - A Al Qaeda no Iraque reivindicou a responsabilidade por dois ataques contra seus ex-aliados sunitas no país, que mataram pelo menos 43 pessoas no último sábado.

Na explosão mais letal, um homem-bomba atacou membros da milícia Sahwa, apoiada pelo governo, enquanto eles formavam fila para serem pagos nos subúrbios do sudoeste de Bagdá, matando pelo menos 39 pessoas e ferindo 41, disseram fontes de segurança iraquianas.

No segundo ataque, um homem-bomba matou quatro pessoas e feriu seis em um encontro de líderes locais da milícia sunita no oeste do Iraque, perto da fronteira com a Síria, disse a polícia da província de Anbar.

Em um comunicado publicado em um website normalmente usado por militantes, a Al Qaeda afirmou que conduziu os ataques como parte de sua ação contra os "líderes da apostasia", um termo usado para combatentes sunitas que já foram aliados do grupo, mas mudaram de lado em 2006/07, ajudando as forças norte-americanas a virar a guerra a seu favor.

"Um leão do Estado Islâmico conseguiu se infiltrar entre a ralé após eles terem sido cegados por saques de dinheiro jogados pelo... governo, e eles caíram na tortura de Deus", disse o comunicado.

Insurgentes sunitas ligados à Al Qaeda tentaram explorar o vácuo político criado pelo fracasso da construção de um governo de coalizão entre sunitas, xiitas e curdos após uma eleição parlamentar inconclusiva em 7 de março, realizando uma série de ataques desde então.

(Reportagem de Ulf Laessing e Ahmed Rasheed)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,48
    3,144
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,53
    75.604,34
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host