UOL Notícias Notícias
 
24/07/2010 - 15h21

Brasil, Turquia e Irã discutirão acordo de troca nuclear

ISTAMBUL (Reuters) - Os ministros de Relações Exteriores do Brasil, Irã e Turquia se reunirão em Istambul no domingo para discutir um acordo de troca nuclear que foi aprovado pelos três países em maio, disse à Reuters um representante do Ministério de Relações Exteriores turco neste sábado.

Sob o novo acordo alcançado em Teerã, o Irã concordou em enviar parte de seu urânio ao exterior, retomando um plano esboçado pela Organização das Nações Unidas com o objetivo de manter o trabalho nuclear da República Islâmica sob fiscalização.

O acordo não conseguiu impedir uma nova rodada de sanções imposta por ONU, União Europeia e Estados Unidos. Mas o ministro de Relações Exteriores turco, Ahmet Davutoglu, disse neste mês que ainda acreditava na chance de o Irã realizar a troca baseada no acordo.

Davutoglu irá primeiro se reunir e realizar uma entrevista coletiva conjunta com o ministro brasileiro, Celso Amorim, às 5h (horário de Brasília) no domingo, segundo o representante do Ministério de Relações Exteriores turco.

Em seguida será realizada uma reunião conjunta com o ministro de Relações Exteriores iraniano, Manouchehr Mottaki. Não ficou claro se eles concederiam mais uma entrevista coletiva.

O Ocidente teme que o Irã esteja trabalhando para desenvolver uma arma nuclear, alegação que Teerã nega, dizendo que seu programa nuclear tem objetivos pacíficos.

Sob o acordo de maio, o Irã concordou em transferir 1.200 quilos de urânio de baixo enriquecimento (LEU, na sigla em inglês) à Turquia dentro de um mês e em troca receber, no prazo de um ano, 120 quilos de urânio enriquecido a 20 por cento, usado para um reator nuclear para pesquisas médicas.

Diplomatas dos países ocidentais disseram que a retirada de 1.200 quilos de urânio de baixo enriquecimento do Irã --quantidade suficiente para produzir uma arma nuclear se for altamente enriquecida-- era menos significativo do que quando foi proposta inicialmente porque o estoque de LEU havia quase dobrado nesse meio tempo.

O Conselho de Segurança da ONU impôs uma quarta rodada de sanções ao Irã no dia 9 de julho. Brasil e Turquia votaram contra, irritados com a negligência ao seu acordo que, segundo eles, tornava as sanções desnecessárias.

O Irã disse estar preparado para retornar às negociações, há muito tempo congeladas, com as potências mundiais sob certas condições, e não antes do final de agosto.

(Reportagem de Tulay Karadeniz)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,02
    3,136
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,02
    75.974,18
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host