UOL Notícias Notícias
 
24/07/2010 - 10h59

Em campanha com Dilma, Lula ataca senadores e "elite da Câmara"

Por Bruna Serra

GARANHUNS, Pernambuco (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva atacou senadores e o que chamou de "elite da Câmara" em evento de campanha da candidata governista à Presidência, Dilma Rousseff (PT), que preferiu um discurso mais técnico.

Falando por quase uma hora em sua terra natal, Garanhuns, Lula disse na noite de sexta-feira que se pudesse retratar em imagem o que sofreu com o Senado durante sua gestão "estaria todo estraçalhado como Jesus Cristo", referindo-se de maneira especial à derrubada da CPMF.

"Se eu for falar do que o Senado fez comigo, do que os senadores de Pernambuco fizeram comigo... os senadores daqui não respeitaram os 40 bilhões de reais da CPMF que eles tiraram da saúde", atacou o presidente, ao lado de Dilma e do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).

Ao avistar entre os presentes o ex-presidente da Câmara dos Deputados Severino Cavalcanti (PP), Lula disparou contra os deputados.

"Eu não sei se você sabe, Severino, mas tem gente que tem vergonha de se aproximar de você", disse. "A imprensa está aqui e vai até reclamar que eu citei você, mas eu vou citar."

Para Lula, a eleição de Severino Cavalcanti para a presidência da Câmara foi uma tentativa de golpe contra seu governo por parte da elite política.

"Quando você foi eleito, a elite da Câmara estava querendo o meu impeachment. Mas você não pediu e esta mesma elite fez o seu, julgando você uma figura imprópria para presidir a Casa. Graças a Deus você teve a grandeza de não fazer o jogo da elite."

Demonstrando emoção o presidente acrescentou: "mas eles não me conheciam, não sabiam que o Lula não era só o Lula. Eu não guardo mágoas, aceito qualquer coisa, mas não venham querer mexer no direito que o povo me deu de governar o Brasil".

Apesar de pertencer a partido aliado a Lula, Severino conseguiu ser eleito presidente da Câmara graças ao apoio da oposição, em uma dura derrota do governo, mas acabou sendo forçado a renunciar ao mandato de deputado em 2005 depois de acusações no envolvimento de pagamentos irregulares.

Dois anos depois de tentar, sem sucesso, voltar à Câmara dos Deputados, foi eleito prefeito de João Alfredo (PE).

CAUTELA

Quando Dilma iniciou seu discurso, passava das 23h e os militantes arregimentados por PT e PSB já começavam a deixar o ginásio da Escola Estadual Monsenhor Anselmo.

A ex-ministra lembrou o depoimento da atriz global Regina Duarte durante a campanha eleitoral de 2002, que afirmou ter medo da chegada de Lula ao poder.

"Quando o Lula era candidato tinha gente dizendo ter medo do que poderia acontecer no Brasil. E o que foi que aconteceu? Investimentos e mais de 14 milhões de empregos gerados", afirmou.

O discurso mais técnico da ministra, no entanto, não empolgou o público que ficou após as palavras do presidente.

Ao comentar o resultado de pesquisa Vox Populi divulgada na noite de sexta-feira, que aponta uma vantagem de 8 pontos percentuais sobre seu principal adversário na corrida presidencial, José Serra (PSDB), Dilma disse que é preciso cautela. "Não podemos entrar no clima de já ganhou."

Neste sábado, sondagem do Datafolha mostrou empate técnico entre os dois candidatos, com Serra 1 ponto à frente (37 a 36 por cento).

(Edição de Alexandre Caveni)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,13
    3,270
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,51
    63.760,94
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host