UOL Notícias Notícias
 
25/07/2010 - 16h33

Chile nega indulto geral a condenados por crimes na ditadura

SANTIAGO (Reuters) - O presidente chileno, Sebastián Piñera, descartou no domingo indultar por meio de uma lei condenados por crimes contra os direitos humanos e outros delitos graves cometidos durante a ditadura de Augusto Pinochet.

A possibilidade de haver o indulto gerou polêmica no país sul-americano.

"Cheguei ao convencimento de que não é nem prudente, nem conveniente nos atuais tempos e circunstâncias promover uma nova lei de indulto geral", afirmou o presidente numa inesperada conferência no palácio do governo.

O mandatário agregou que usará a figura do indulto particular para estudar caso a caso de uma forma "muito prudente e restritiva".

No entanto, a medida deixou dúvidas em grupos defensores de direitos humanos, que temem a liberação de pessoas que cometeram crimes durante a ditadura.

Durante o governo de Pinochet, cerca de 3 mil pessoas morreram por razões políticas e 28 mil sofreram torturas, inclusive a ex-presidente Michelle Bachelet.

(Reportagem de Fabián Andrés Cambero e Alonso Soto)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    09h29

    -0,30
    3,269
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,95
    63.257,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host