UOL Notícias Notícias
 
26/07/2010 - 13h59

UE aumenta pressão sobre Irã; Teerã propõe negociação

Por Luke Baker e Robin Pomeroy

BRUXELAS/TEERÃ (Reuters) - O Irã anunciou inesperadamente nesta segunda-feira que estava preparado para retomar as negociações sobre uma troca de combustível nuclear, pouco depois de a União Europeia aprovar sanções mais duras contra o país, incluindo uma iniciativa para bloquear investimentos no setor de petróleo e gás.

Os ministros das Relações Exteriores da UE aprovaram uma série de restrições adicionais ao Irã, indo bem além das sanções aprovadas pela Organização das Nações Unidas (ONU) no mês passado, incluindo medidas para bloquear a negociação com bancos e seguradoras iranianas e para evitar o investimento no lucrativo setor de petróleo e gás de Teerã, até mesmo o de refinaria.

Pouco depois, o Irã anunciou estar pronto para retomar as negociações sobre a troca de combustível nuclear "sem condições", de acordo com a agência oficial de notícias Irna.

Comentando uma carta apresentada pelo Irã à Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), o enviado do Irã à agência da ONU, Ali Asghar Soltanieh, afirmou que "a mensagem clara desta carta é a completa prontidão do Irã para manter negociações sobre o combustível para o reator de Teerã sem nenhuma condição."

O anúncio parecia ser uma iniciativa do país persa de mostrar disposição para negociar, já que uma série de sanções da ONU, da UE e dos Estados Unidos intensificam a pressão sobre o Irã. Não estava claro, porém, se a oferta para negociação da troca de combustível seria o suficiente para aplacar as potências mundiais.

"Este é o momento (para os adversários do Irã) provarem que também estão determinados a vir da confrontação e da negociação e conversar", disse Soltanieh à iraniana Press TV, mas prosseguiu para mostrar o descontentamento do Irã com as novas sanções da UE.

"Tendo dito isso, é decepcionante que haja notícias sobre os gestos negativos destrutivos que colocam em risco o ambiente propício", acrescentou ele.

Turquia e Brasil aprovaram um acordo de troca de combustível nuclear com Teerã dias antes da imposição de novas sanções da ONU. A negociação, no entanto, não impediu as grandes potências mundiais --EUA, Grã-Bretanha, França, Alemanha, China e Rússia-- de levar adiante a quarta rodada de sanções ao Irã.

A União Europeia informou nesta segunda-feira que o objetivo da nova série de sanções era fazer o Irã voltar às negociações sobre o programa de enriquecimento de urânio, admitindo a possibilidade de as conversações ocorrerem nas próximas semanas.

As potências ocidentais acusam o Irã de querer produzir bombas atômicas. Teerã nega e diz que sua intenção é gerar eletricidade.

(Reportagem adicional de David Brunnstrom e de Justyna Pawlak, em Bruxelas; de Amena Bakr, em Dubai; e de Luke Pachymuthu, em Cingapura)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host