UOL Notícias Notícias
 
01/08/2010 - 12h30

Irã rejeita pedido de Obama para libertar norte-americanos

TEERÃ (Reuters) - O Irã rejeitou o pedido do presidente Barack Obama para libertar três norte-americanos presos há mais de um ano, próximo à fronteira do Iraque, informou o Ministério das Relações Exteriores, adicionando que a Justiça seguirá o seu curso.

Shane Bauer, Sarah Shourd e Josh Fattal foram detidos em 31 de julho de 2009 na fronteira do Irã com o Iraque. As famílias afirmam que eles estavam fazendo uma caminhada nas montanhas do norte do Iraque. Para o Irã, eles são suspeitos de espionagem, mas não foram apresentadas acusações.

A prisão complica ainda mais o relacionamento entre Teerã e Washington, em tensão devido às ambições nucleares iranianas.

"A matéria é uma questão puramente judicial e vai, portanto, prosseguir neste âmbito", declarou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores Ramin Mehmanparast, segundo a agência de notícias Fars, no domingo.

"Qualquer tentativa de influenciar o processo legal por meio de pressão política ou pela mídia não terá qualquer influência na abordagem independente do poder judiciário iraniano", disse.

Os comentários aparentemente fazem referência a uma declaração do presidente Obama na sexta-feira, marcando um ano da prisão dos norte-americanos. Ele disse que os três não haviam cometido nenhum crime e que a detenção viola as convenções de direitos humanos.

"Eu quero ser bem claro: Sarah, Shane e Josh nunca trabalharam para o governo dos Estados Unidos. Eles tem simplesmente o espírito aberto e aventureiro dos jovens, que representa o melhor da América e do espírito humano", disse Obama.

"A detenção injusta não tem nada a ver com as questões que continuam a separar os Estados Unidos e a comunidade internacional do governo iraniano."

O Irã investiga as alegações de espionagem, segundo Mehmanparast.

"Os três cidadãos americanos foram detidos... devido à entrada ilegal em território iraniano. Consequentemente, a violação é óbvia, e eles terão que responder perante a lei como qualquer outro indivíduo."

"Enquanto isso, outras suspeitas contra eles, tais como a atividades contra-segurança ou contra a República Islâmica do Irã, estão sendo investigadas pelas autoridades competentes."

O Irã diz que muitos cidadãos iranianos estão em detenção secreta nos Estados Unidos, incluindo um ex-vice-ministro de Defesa que desapareceu em 2007. A mídia iraniana frequentemente relaciona o caso dos norte-americanos ao dos prisioneiros iranianos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    15h59

    -0,57
    3,127
    Outras moedas
  • Bovespa

    16h01

    -0,38
    75.315,19
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host