UOL Notícias Notícias
 
01/08/2010 - 11h45

Número de civis mortos no Iraque quase dobra em julho

Por Wathiq Ibrahim

BAGDÁ (Reuters) - O número de civis mortos no Iraque quase dobrou no mês de julho em relação ao mês anterior, um sinal de que os rebeldes podem estar explorando as tensões políticas depois de uma eleição que não produziu um claro vencedor.

Um total de 396 civis foram mortos em explosões de bombas e outros ataques no mês passado, depois que 204 morreram em junho e 275 em maio, segundo dados do governo divulgados no sábado.

Os números de julho ainda estão longe do da guerra sectária em 2006/07, mas ainda são elevados.

A violência foi reduzida significativamente desde o auge da guerra sectária após a invasão liderada pelos EUA em 2003. Mas atentados e assassinatos ainda ocorrem diariamente, enquanto sunitas islâmicos tentam reverter a dominação política da maioria xiita.

Partidos políticos iraquianos ainda estão tentando formar uma coalizão para o governo após as eleições parlamentares inconclusivas de março.

Xiitas, sunitas e facções curdas estão em negociação para reunir o número de assentos suficientes para uma maioria parlamentar, mas continuam sem acordos sobre quem ocupará os cargos mais altos.

O ex-primeiro-ministro Iyad Allawi da aliança Iraqiya, apoiada pela minoria sunita, ganhou 91 lugares, dois a mais que o bloco xiita Estado de Direito, liderado pelo atual primeiro-ministro Nuri al-Maliki.

Allawi alertou que qualquer tentativa de união liderada por xiitas do Estado de Direito com a Aliança Nacional Iraquiana, que ficou em terceiro lugar nas eleições, com o objetivo de excluir Iraqiya do governo pode levar a mais violência.

Os sunitas dominaram o Iraque sob Saddam Hussein e o ressentimento pela perda de poder após a invasão de 2003 liderada pelos EUA ajuda a alimentar a insurgência e a guerra civil.

As estatísticas do governo mostram que 89 policiais, 50 soldados e 1.055 militantes foram mortos em julho. Na semana passada, dois carros-bomba mataram pelo menos 19 peregrinos xiitas, principalmente perto da cidade sagrada xiita de Kerbala, 80 km a sudoeste de Bagdá. Pelo menos 15 pessoas foram mortas quando um carro-bomba explodiu em um mercado lotado perto da cidade rebelde de Baquba, na província de Diyala, em 21 de julho.

Cerca de 100 mil civis foram mortos no Iraque desde a invasão, de acordo com o site www.iraqbodycount.org.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,45
    3,141
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,39
    64.684,18
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host