UOL Notícias Notícias
 
04/08/2010 - 11h22

Ahmadinejad sai ileso após explosão perto de comitiva

Por Robin Pomeroy

TEERÃ (Reuters) - O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, escapou ileso da explosão de um artefato caseiro perto de sua comitiva, nesta quarta-feira, durante visita a uma cidade do oeste do país, segundo uma fonte de seu gabinete.

Mas a mídia oficial do governo disse que apenas um jovem soltou fogos de artifício para comemorar a presença do presidente, e o chefe de polícia afirmou que a notícia de um ataque era uma "grande mentira" divulgada pela imprensa internacional.

A fonte do gabinete de Ahmadinejad disse que o ataque aconteceu no percurso entre o aeroporto de Hamadan e um estádio onde o presidente faria um discurso. Ahmadinejad escapou ileso, mas alguns membros da comitiva ficaram feridos, e uma pessoa foi presa, de acordo com a fonte.

"Houve um ataque nesta manhã. Nada aconteceu com o carro do presidente", disse a fonte à Reuters. "As investigações continuam para descobrir quem estava por trás disso."

Ahmadinejad, que vem reprimindo a oposição desde a polêmica eleição de junho de 2009, apareceu ao vivo pela TV no estádio. Não parecia abalado e não fez qualquer menção ao incidente.

Político populista e radical, Ahmadinejad tem colecionado inimigos nos círculos conservador e reformista da República Islâmica, e também no exterior.

Mas a agência de notícias oficial Irna disse que "um jovem empolgado de Hamadan soltou fogos de artifício para demonstrar sua felicidade. Isso não causou qualquer distúrbio na multidão que dava ao presidente uma calorosa recepção."

A Irna acrescentou que a imprensa internacional inventou o ataque ao presidente. "Alguns veículos da imprensa estrangeira tentaram tirar proveito desse evento, em linha com seus próprios objetivos", disse a agência.

"Alguns veículos de imprensa nacionais disseram que a explosão seria de uma granada, e alguns disseram que era uma granada caseira, e isso causou alguma ambiguidade."

O subchefe de polícia do Irã, Ahmadreza Radan, disse que as agências internacionais de notícias estavam tentando explorar a situação ao publicar notícias falsas.

"É uma grande mentira que a imprensa internacional publicou e desejava espalhar", disse ele à agência de notícias semioficial Fars, que inicialmente tinha noticiado que um homem havia atirado uma granada caseira, mas depois alterou sua versão e relatou que um rojão havia sido acionado por um homem que ficou entusiasmado ao ver o presidente.

O Irã atravessa uma fase de dificuldades econômicas por causa das sanções internacionais ao programa nuclear do país.

Líderes do regime islâmico têm reagido à pressão acusando o Ocidente de tramar contra a República Islâmica. Adversários do governo são acusados de receberem apoio de potências estrangeiras.

Na segunda-feira, durante um discurso para um encontro de iranianos expatriados, em Teerã, Ahmadinejad disse acreditar que seria alvo de uma tentativa de assassinato por parte de Israel. "Os estúpidos sionistas contrataram mercenários para me assassinar", afirmou.

Mas um ativista da oposição disse que uma coisa é o presidente falar de atentados, e outra muito diferente é que o ataque realmente ocorra.

"É obviamente um reflexo do fato de que nada está bem no Irã, que o controle não é total, ao contrário do que diz a sabedoria convencional", disse Mehrdad Khonsari, ativista iraniano de oposição radicado em Londres.

(Reportagem adicional de Alistair Lyon em Beirute)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    14h10

    -0,10
    3,132
    Outras moedas
  • Bovespa

    14h13

    -0,21
    75.832,65
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host