UOL Notícias Notícias
 
04/08/2010 - 18h47

Conselho da ONU pede pressa na formação de governo no Iraque

Por Louis Charbonneau

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - O Conselho de Segurança da ONU pediu na quarta-feira ao Iraque que forme um novo governo rapidamente, após um enviado da entidade dizer que a demora está prejudicando a infraestrutura e os serviços e gerando incertezas.

Quase cinco meses depois da eleição parlamentar no Iraque, os principais partidos ainda não conseguiram definir um novo gabinete. Em nota, o Conselho pediu aos políticos do país que "formem, o mais rapidamente possível, um governo que seja inclusivo e represente a vontade do povo iraquiano e sua esperança por um Iraque forte, independente, unificado e democrático".

Ad Melkert, enviado especial da ONU para o Iraque, disse durante a sessão que o impasse político "contribui com a incerteza no país e cria condições que poderiam ser exploradas por elementos contrários à transição democrática do Iraque".

O problema estaria também "impactando a infraestrutura e os serviços básicos do país, afetando a subsistência e o bem-estar dos cidadãos iraquianos."

Segundo ele, recentes protestos contra apagões foram um sinal "da crescente raiva e desilusão".

Nesta semana, o primeiro-ministro Nuri al Maliki disse que seu desejo de cumprir um segundo mandato não está impedindo a formação do novo governo, e pediu à população que tenha paciência.

O embaixador do Iraque na ONU, Hamid al Bayati, reiterou o desejo do Iraque de rever seu status sob o chamado Artigo 7o., pelo qual o Conselho de Segurança obriga o país a pagar indenizações ao vizinho Kuwait pela invasão de 1990, e proíbe Bagdá de importar certas substâncias químicas e outros materiais.

"Solicitamos ao Conselho (...) que libere o Iraque de todas as restrições impostas a ele pelas resoluções do Conselho de Segurança, a fim de permitir que o Iraque exerça seu papel natural como membro efetivo da comunidade internacional", afirmou ele.

O Kuwait é contra qualquer redução nas indenizações, e Melkert disse a jornalistas que o Iraque ainda precisa normalizar as suas relações com o vizinho, mas que uma solução pode ser encontrada em breve.

"Acredito que seja possível e acredito que a hora chegou, com o começo de um novo governo no Iraque, tomara que em breve, para dar passos decisivos e (...) contribuir com a probabilidade de que o Iraque possa sair do Artigo 7o. muito em breve."

A invasão no Kuwait, ocorrida na época em que Saddam Hussein governava o Iraque, desencadeou a primeira Guerra do Golfo, em 1991. Saddam foi derrubado por uma segunda invasão norte-americana, em 2003.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    1,02
    3,178
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,90
    67.976,80
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host