UOL Notícias Notícias
 
05/08/2010 - 19h58

Serra critica Irã em caso de mulher condenada a apedrejamento

SÃO PAULO (Reuters) - O candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, criticou nesta quinta-feira a posição iraniana no caso do apedrejamento de uma mulher condenada por adultério.

O tucano aproveitou para alfinetar a aproximação do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao regime de Mahmoud Ahmadinejad.

"Foi procurar corrigir um erro, mas não adiantou nada, evidentemente", disse.

"O que tem de fazer é criticar essa postura, esse tipo de regime, internacionalmente. Independentemente das relações diplomáticas. Ai se trata de direitos humanos, que é anterior e superior a qualquer outro assunto em matéria internacional", acrescentou.

A iraniana Sakineh Mohammadi Ashtiani foi condenada à morte por apedrejamento por um relacionamento extraconjugal, o que ela nega. No sábado, Lula ofereceu asilo a ela.

Em visita ao mercado municipal de São Paulo, no centro, Serra aproveitou para relembrar sua infância --local onde seu pai teve uma barraca de frutas por cerca de 30 anos-- e rever alguns conhecidos.

Questionado sobre a pesquisa CNT/Sensus, que apontou vantagem de 10 pontos percentuais à candidata Dilma Rousseff (PT), Serra não comentou.

"Eu nem vi a pesquisa. Não comento nem quando eu vejo, imagina quando eu não vejo."

No levantamento divulgado nesta quinta-feira, Dilma teve 41,6 por cento das intenções de voto, ante 31,6 por cento de Serra.

O candidato afirmou que encara o debate desta noite, na TV Bandeirantes, como um evento normal, que segue como mais uma etapa da campanha.

(Reportagem de Fernando Cassaro)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host