UOL Notícias Notícias
 
08/08/2010 - 12h57

Deslizamentos devastam cidade chinesa e matam 127 pessoas

Por Chris Buckley

PEQUIM (Reuters) - Deslizamentos atingiram neste domingo uma cidade no noroeste da China, matando pelo menos 127 pessoas e deixando quase 1.300 moradores desaparecidos, enquanto equipes de resgate cavavam em casas soterradas e tentavam explodir escombros que estão bloqueando rios.

A massa de água, lama e pedras atingiu o Condado de Zhouqu, na Prefeitura Tibetana Autônoma de Gannan, na província de Gansu, uma região dominada por precipícios e morros, após chuvas torrenciais terem caído no final do sábado, informou a agência de notícias Xinhua, citando autoridades locais.

O escoamento das chuvas causaram um deslizamento de terra no Rio Bailong, que passa pela cidade de Zhouqu.

O rio, bloqueado em um pequeno vale, passou então a transbordar, causando enchentes e deslizamentos que atingiram a cidade após a meia-noite, danificando uma pequena usina hidrelétrica e deixando pelo menos 127 mortos, de acordo com a Xinhua.

Mais chuvas são esperadas no rio na terça-feira.

"Muitas casas térreas foram varridas e agora estamos esperando para ver quantias pessoas conseguiram sair", afirmou um morador de Zhouqu, um mercador chamado Han Jiangping, por telefone. "Tivemos deslizamentos antes, mas nada assim tão ruim. As pessoas estão tentando encontrar suas famílias e esperando por mais equipes de resgate."

O desastre ocorre logo após enchentes no Paquistão terem matado mais de 1.600 pessoas no estado indiano de Jammu e Caxemira. Inundações também mataram pelo menos 132 pessoas na região de Ladakh, no Himalaia.

O número de mortos na China pode subir abruptamente. Há 1.294 pessoas desaparecidas, informou a Xinhua neste domingo, e não está claro quantas conseguiram fugir ou sobreviver. Essa contagem é mais baixa do que uma estimativa inicial de 2.000 desaparecidos.

Uma vila com 300 casas foi soterrada, segundo informações oficiais.

"É muito difícil localizar as pessoas que são levadas por enchentes. É difícil dizer quais são suas chances de sobrevivência", afirmou He Youxin, autoridade da Polícia Armada do Povo que está organizando os esforços de resgate. "Como os escavadores não conseguem chegar ao local, só podemos usar pás e nossas mãos para resgatar os soterrados."

Cerca de 2.800 soldados e 100 membros de equipes médicas foram ao local para ajudar, e 5.000 tendas estavam sendo enviadas para a cidade, informou a Xinhua.

O Partido Comunista, que governa o país, tornou-se adepto de demonstrar sua força mobilizando tropas, esforços de resgate e propaganda em desastres naturais, como o grande terremoto de 2008.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    $date.format("HH'h'mm", $data)

    -0,05
    3,173
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h23

    1,12
    65.403,25
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host