UOL Notícias Notícias
 
11/08/2010 - 13h25

Chuvas trazem mais risco a cidade chinesa onde já morreram 1.117

Por Ben Blanchard

ZHOUQU, China (Reuters) - O risco de novas chuvas torrenciais ameaçou levar mais sofrimento na quarta-feira a uma cidade chinesa devastada por uma avalanche e ameaçada por um lago instável, detrás de uma barreira de lama.

As autoridades avisaram a outras regiões que também devem preparar-se para chuvas pesadas.

Há poucas esperanças de serem encontrados mais sobreviventes nas ruínas da cidade de Zhouqu, situada num vale da província de Gansu, noroeste do país, onde pelo menos 1.117 pessoas morreram em uma avalanche que desceu das encostas no fim de semana, após chuvas torrenciais. Outras 627 pessoas estão desaparecidas.

O odor da morte é forte, após dias de sol forte, e um fluxo constante de corpos é levado a necrotérios improvisados, que praticamente não passam de áreas de terra isoladas por cordões e cobertas de cal.

"Viemos para assegurar que as crianças recebam um funeral correto", disse Dorje, tibetano que usa um nome apenas e procurava os corpos de seus dois sobrinhos.

"Primeiro precisamos encontrar os corpos", disse ele, acrescentando que a família está preocupada com o custo da cremação, em uma região onde quase não restaram árvores que possam ser usadas como lenha.

As autoridades alertaram que as chuvas pesadas previstas para Zhouqu e outras áreas nos próximos dias podem trazer o risco de mais enchentes e deslizamentos de terra, também na província adjacente de Sichuan.

Cerca de 45 mil pessoas foram retiradas de Zhouqu, e as autoridades avisaram às outras pessoas que devem deixar a cidade ou manter distância dela.

"Prevemos chuvas muito fortes para mais tarde, hoje; por favor não passem muito tempo na cidade", disse um policial em uma barreira nos arredores da cidade.

Jiao Yong, vice-ministro dos Recursos Hídricos, desconsiderou a ameaça de novas enchentes devido à água acumulada no lago formado depois de as avalanches terem atingido Zhouqu e represado o rio Bailong.

Ele disse que o nível do lago já foi reduzido por explosões e escavações e que os serviços de resgate estão preparados para enfrentar possíveis enchentes.

"O risco de um colapso repentino da lagoa represada pode ser excluído", disse Jiao em coletiva de imprensa concedida em Pequim.

MOBILIZAÇÃO CONTRA DESASTRES

A equipe de busca e resgate que está na cidade permitiu a Pequim exibir sua notável capacidade de mobilização contra desastres naturais, incluindo terremotos e enchentes, muitos dos quais atingiram o país nos últimos anos.

Mais de 10 mil policiais, soldados e bombeiros foram enviados à cidade para ajudar nos trabalhos de resgate. O premiê Wen Jiabao visitou Zhouqu, e outros líderes também vêm contribuindo.

Mas algumas pessoas estão indignadas com o governo devido às políticas que, para elas, deixaram a cidade vulnerável a avalanches.

(Reportagem adicional de Chris Buckley em Pequim)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,56
    3,261
    Outras moedas
  • Bovespa

    18h21

    1,28
    73.437,28
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host