UOL Notícias Notícias
 
11/08/2010 - 16h17

Negociação direta Israel-palestinos pode ocorrer em breve

Por Douglas Hamilton

JERUSALÉM (Reuters) - O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse na quarta-feira que quer voltar rapidamente às conversações de paz em escala total, ao se encontrar com George Mitchell, o enviado dos Estados Unidos, para ouvir sobre as últimas novidades do lado palestino.

"Será que devemos prosseguir? Vamos seguir com as conversações", disse Netanyahu. "Essa é minha mensagem toda...o que tenho dito há um ano e meio: vamos dar prosseguimento a isso."

Em seu quinto "vai-e-vem" desde o início das "conversas de proximidade" em maio após uma interrupção de quase 18 meses no processo de paz, Mitchell lhe disse: "Compartilhamos com o objetivo de vocês."

No que parece ser uma operação diplomática cuidadosamente coreografada para os próximos dias, espera-se agora que o presidente palestino, Mahmoud Abbas, retire suas objeções e passe das conversações indiretas para as negociações cara a cara.

O presidente dos EUA, Barack Obama, quer ver o processo de paz no nível em que estava quase dois atrás, quando Israel executou uma ofensiva (em janeiro de 2009) contra os militantes palestinos do Hamas na Faixa de Gaza.

A janela de oportunidade está se fechando. Uma moratória parcial de 10 meses nas construções de assentamentos israelenses na Cisjordânia ocupada, ordenada por Netanyahu em novembro, deve terminar em 26 de setembro, representando uma possível ameaça fatal ao diálogo.

Mitchell teve conversas "sérias e positivas" com Abbas na terça-feira, afirmou uma autoridade palestina. Ainda não houve um acordo para passar para o diálogo direto, mas "estamos prosseguindo com nossos esforços para atingir uma fórmula" para as negociações finais de um tratado de paz.

Fontes palestinas, no entanto, disseram que Abbas poderia decidir começar com o diálogo tête-à-tête em dias, pois recebeu apoio político para tal das grandes potências.

Abbas estava buscando a reiteração de uma declaração de 19 de março do "Quarteto" de atores internacionais na diplomacia do Oriente Médio - EUA, União Europeia, Rússia e Organização das Nações Unidas (ONU) - pedindo que Israel paralise as obras de assentamento na Cisjordânia e atinja um acordo pleno de paz com os palestinos em 24 meses.

Se isso acontecer, disse ele esta semana, "irei imediatamente às conversas diretas, pois isso inclui tudo o que estou pedindo".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    09h19

    -0,12
    3,231
    Outras moedas
  • Bovespa

    18h20

    -0,10
    74.518,79
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host