UOL Notícias Notícias
 
15/08/2010 - 14h18

Número 2 da Al Qaeda pede que turcos lutem contra governo

DUBAI (Reuters) - O segundo homem no comando da Al Qaeda pediu em uma mensagem pela Internet neste domingo que o povo turco pressione seu governo para que rompa com Israel e retire suas tropas do Afeganistão.

A gravação de áudio, cuja autenticidade não pôde ser verificada, coincide com a deterioração das relações entre Turquia e Israel, depois que o primeiro-ministro Tayyip Erdogan condenou uma ofensiva israelense em Gaza em dezembro de 2008 e criticou o bloqueio israelense do encrave palestino.

"O povo turco deveria assumir a responsabilidade de impedir que seu governo continue a reconhecer aqueles que roubaram a Palestina", disse Ayman al-Zawahri na gravação.

Sob o título de "Uma mensagem para o povo turco", Zawahri, falando em árabe, conclama os turcos a exigirem que seu governo pare de ajudar "a Cruzada de morte contra muçulmanos no Afeganistão."

As relações entre a Turquia e Israel se deterioraram depois que soldados israelenses mataram nove ativistas turcos pró-Palestina em um ataque a navios que levavam ajuda humanitária para Gaza, tentando romper o bloqueio imposto por Israel.

"As mudanças vão ocorrer se os turcos exigirem que seu governo pare de lidar e de reconhecer Israel, pare de enviar soldados para matar nossos irmãos muçulmanos no Afeganistão e pare de combater o Islã", disse Zawahri.

O número 2 da Al Qaeda disse que o envio de barcos de ajuda para Gaza não era o suficiente e que o povo turco deveria cumprir seu papel histórico de "defensor do Islã e protetor dos muçulmanos."

"O povo turco deverá recuperar o papel glorioso desempenhado no passado pelo Império Otomano de defesa do Islã em geral e da Palestina em particular", disse ele na gravação de 20 minutos.

"Todo muçulmano orgulhoso na Turquia deveria protestar contra os crimes cometidos pelo governo e pelo Exército turco."

"Seu governo divulga declarações contra os crimes dos judeus em Gaza, mas comete os mesmos crimes no Afeganistão contra os muçulmanos e os mujahidin (guerreiros)", disse ele.

Os soldados turcos no Afeganistão não então engajados em operações de combate e Ancara resiste há muito tempo a pressões de Washington para que ofereça tropas de combate.

A Turquia, que é membro da Otan, tem um relacionamento especial com o Afeganistão que data dos vínculos do Império Otomano na Ásia Central e Meridional.

(Reportagem de Mahmoud Habboush)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host