UOL Notícias Notícias
 
17/08/2010 - 14h08

Arrecadação cresce 10,8% e é recorde para julho

BRASÍLIA (Reuters) - A arrecadação do governo federal aumentou 10,76 por cento em julho sobre igual período do ano passado e foi recorde para o mês. O desempenho refletiu a atividade econômica ainda aquecida, apesar dos sinais de desaceleração já verificados no segundo trimestre, afirmou a Receita Federal, ao divulgar os dados nesta terça-feira.

As receitas de impostos e contribuições somaram 67,973 bilhões de reais em julho, contra 61,372 bilhões de reais um ano antes, em dados corrigidos pela inflação.

"Os principais fatores que, em conjunto, contribuíram para esse resultado foram o crescimento de 11,10 por cento na produção industrial de junho de 2010 em relação a junho de 2009, o crescimento de 3,4 por cento do volume de vendas, bem como o crescimento da massa salarial de 14,61 por cento," afirmou a Receita em nota.

De janeiro a julho, a arrecadação somou 450,914 bilhões de reais, avanço de 12,22 por cento sobre os 401,821 bilhões de reais de igual intervalo do ano passado.

"O acumulado do ano ainda é forte, a desaceleração ainda não se refletiu," afirmou a jornalistas o subsecretário de Tributação e Contencioso da Receita, Sandro Serpa, acrescentando que os tributos reagem de maneira diferenciada, e com diferentes defasagens, a oscilações da economia.

Segundo Serpa, a expectativa é de que as receitas administradas pelo Fisco --excluindo recolhimentos como o de royalties-- sigam crescendo entre 10 e 12 por cento ao mês até o final do ano.

A Receita garantirá esse desempenho com medidas na área de fiscalização e de arrecadação já em curso, disse, como a criação de delegacias especializadas na fiscalização de grandes contribuintes.

(Reportagem de Isabel Versiani)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h50

    -0,58
    3,118
    Outras moedas
  • Bovespa

    13h56

    -0,61
    75.507,12
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host