UOL Notícias Notícias
 
18/08/2010 - 15h00

Eventos pró e contra centro muçulmano lembrarão 11 de Setembro

NOVA YORK (Reuters) - Manifestantes contra e a favor da construção de um centro muçulmano próximo ao local onde ficava o World Trade Center em Nova York vão marcar os nove anos do ataque de 11 de setembro de 2001.

A proposta de construção do centro cultural muçulmano a duas quadras do local onde aconteceram os ataques da Al Qaeda que mataram cerca de 3 mil pessoas despertou um debate nacional nos Estados Unidos.

O grupo Parem com a Islamização da América vai realizar uma marcha à tarde na parte baixa de Manhattan, logo após a cerimônia anual oficial em memória das vítimas dos ataques.

O grupo disse que a lista de participantes inclui o ex-presidente da Câmara dos Deputados Newt Gingrich, o ex-embaixador na ONU John Bolton, o parlamentar holandês Geert Wilders e familiares das vítimas do ataque de 11 de Setembro.

Grupos muçulmanos e árabes nos EUA vão se reunir esta semana para discutir como vão lembrar o ataque, que vai coincidir com o feriado muçulmano que marca o fim do mês sagrado do Ramadã.

"Não vamos fazer uma (manifestação) pelas ruas. Não é esse o tipo de comportamento que temos", disse Linda Sarsour, diretora da Associação Árabe Americana de Nova York.

Ela afirmou que a coalizão estuda promover um grande projeto comunitário, um jantar ecumênico e vários outros eventos para promover o entendimento.

Neste domingo, grupos contra e a favor da construção do centro também planejam marchas em Manhattan.

O projeto do centro, chamado Cordoba House, inclui um prédio com espaço para orações, auditório, piscina e salas de reuniões. A estrutura planejada não inclui minarete ou domo -- símbolos associados com mesquitas.

(Por Edith Honan)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,13
    3,270
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,51
    63.760,94
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host