UOL Notícias Notícias
 
18/08/2010 - 15h39

Justiça peruana ordena prisão de ex-guerrilheira norte-americana

LIMA (Reuters) - A Justiça do Peru ordenou nesta quarta-feira a prisão da norte-americana Lori Berenson, depois de anular sua liberdade condicional, informou o Ministério da Justiça.

Antes de ser libertada da prisão, em maio, Berenson cumpriu cerca de 15 anos de prisão de uma pena de 20 anos por colaborar com o grupo guerrilheiro Movimento Revolucionário Tupac Amaru (MRTA).

Um alto funcionário do Ministério da Justiça disse que uma comissão de juízes concluiu que a libertação dela foi fruadulenta porque a polícia não conseguiu confirmar a localização do apartamento onde ela ficaria morando em Lima, durante a liberdade condicional.

Berenson poderá ser libertada novamente, depois que esse fato seja esclarecido, disse ele.

A libertação de Berenson provocou controvérsia em um país ainda traumatizado por um conflito que matou cerca de 70 mil pessoas. O MRTA se manteve ativo nos anos 1980 e 1990, quando um grupo insurgente maior, o Sendero Luminoso, também tentou depor o governo.

Berenson nasceu em Nova York e estudou no Massachusetts Institute of Technology antes de se envolver com questões de justiça social na América Latina. Ela foi presa em um ônibus no Peru em 1995 e acusada de integrar o MRTA.

Na segunda-feira, em uma rara aparição pública diante um tribunal, Berenson, de 40 anos, pediu desculpas por ter apoiado o MRTA.

"Sim, eu colaborei com o MRTA. Nunca fui uma líder ou militante. Nunca participei de atos violentos ou sangrentos. Nunca matei ninguém", disse perante um painel de juízes.

(Reportagem de Teresa Céspedes)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,02
    3,136
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,02
    75.974,18
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host