UOL Notícias Notícias
 
19/08/2010 - 17h57

Mãe afirma que filho morreu por poluição de refinaria da BP

Por Erwin Seba

HOUSTON (Reuters) - Uma mulher abriu processo nesta quinta-feira contra a subsidiária norte-americana da BP, alegando que o excesso de poluição de uma refinaria do Texas contribuiu para a morte de seu filho.

O processo, que pede indenização de 10 bilhões de dólares, é um dos milhares movidos contra a refinaria Texas City, que este mês concordou em pagar uma multa de 50,6 milhões de dólares ao governo dos EUA por falhas de segurança numa explosão de 2005 que matou 15 operários.

Um porta-voz da BP recusou-se a comentar a ação judicial a respeito da morte da criança.

"Estamos profundamente tristes por saber da morte de uma criança em nossa comunidade", disse o porta-voz Michael Marr. "Diante das circunstâncias, não teremos mais comentários sobre essa ação judicial."

A BP também está sendo investigada por um caso de excesso de poluição entre abril e maio deste ano, que a companhia alegou se tratar de uma falha técnica.

Segundo a BP, o controle de qualidade do ar no perímetro da refinaria não detectou excesso de poluição mesmo durante o período de mau funcionamento.

O promotor público de Houston Anthony Buzbee, que apresentou a ação judicial em nome da mãe da criança, disse que os médicos não puderam determinar o que causou a pneumonia em seu bebê de 6 meses Julius Provost.

"A BP vai continuar minimizando e dizendo que seus monitores não identificaram nada", disse Buzbee.

Provost morreu no dia 23 de junho e, apesar de a necropsia não ter determinado a causa da morte, foi observada a presença de fluidos em seus pulmões.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    14h39

    0,78
    3,282
    Outras moedas
  • Bovespa

    14h41

    -1,75
    61.541,35
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host