UOL Notícias Notícias
 
23/08/2010 - 14h15

Guerrilha colombiana quer participar de assembleia da Unasul

BOGOTÁ (Reuters) - A maior guerrilha esquerdista da Colômbia anunciou nesta segunda-feira sua disposição de falar na assembleia da União das Nações Sul-Americanas (Unasul), para expor seus pontos de vista sobre o conflito interno no país e uma saída negociada.

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) fizeram o anúncio depois que o governo do presidente Juan Manuel Santos rejeitou a mediação de governos estrangeiros e líderes políticos para buscar uma aproximação de paz com o grupo rebelde.

O presidente mantém fechada a porta ao diálogo com a guerrilha e condiciona sua abertura à libertação dos sequestrados, suspensão das atividades criminosas e disposição para depor as armas, como parte de uma negociação.

"Senhores presidentes: quando acharem oportuno estamos dispostos a expor em uma assembleia da Unasul nossa visão sobre o conflito colombiano", disseram as Farc, em declaração difundida pela Agência de Notícias da Nova Colômbia, órgão de comunicação do grupo rebelde.

O anúncio das Farc poderia ser um esforço para recuperar protagonismo em nível internacional, de acordo com analistas.

O grupo rebelde, considerado uma organização terrorista pelos Estados Unidos e a União Europeia, perdeu espaço ultimamente nos países da América Latina, onde seus líderes costumavam difundir sua posição.

(Reportagem de Luis Jaime Acosta)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,31
    3,266
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,60
    62.662,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host