UOL Notícias Notícias
 
24/08/2010 - 21h45

Instituto revê para baixo previsão de furacões para 2010

MIAMI (Reuters) - O instituto meteorológico privado Weather Service International reduziu na terça-feira sua previsão para a temporada de furacões de 2010 no Atlântico, mas continuou antevendo um ano muito movimentado, com chances duplicadas de que um furacão atinja a costa nordeste dos EUA.

O WSI, com sede em Massachusetts, disse que os padrões atmosféricos e o calor no oceano deixam o trecho de litoral entre Outer Banks (Carolina do Norte) ao Maine sob um risco significativamente maior neste ano.

"Nosso modelo sugere que a ameaça à costa nordeste nesta temporada está compatível com (a ameaça) na Flórida e nos Estados da costa do golfo (sul dos EUA)", disse a empresa em nota.

O WSI disse esperar 18 tempestades dignas de receberem um nome, das quais dez chegando a furacões. Cinco poderiam chegar a ser furacões "grandes" (a partir da categoria 3 na escala Saffir-Simpson, que vai até 5), com ventos de pelo menos 178 quilômetros por hora.

A temporada de tempestades tropicais começou em 1o de junho e dura seis meses.

Em julho, o instituto previa 19 tempestades, segundo 11 furacões, dos quais 5 "grandes".

A média de longo prazo é de dez tempestades por temporada, sendo seis furacões e dois furacões intensos.

Até agora, a atual temporada de furacões tem sido mais branda do que o esperado, devido a massas de ar seco e ventos que impedem a formação das tempestades.

A fase mais agitada da temporada, no entanto, costuma ser de meados de agosto a outubro, e a atmosfera está rapidamente se tornando mais favorável ao desenvolvimento dos sistemas tropicais, segundo Todd Crawford, meteorologista-chefe do WSI.

"As temperaturas da superfície marinha atlântica continuam em níveis de calor recordes, ainda mais quentes do que na temporada loucamente ativa de 2005", disse Crawford.

Ele explicou que a revisão para baixo reflete a calmaria inicial da temporada, e não a previsão futura.

Até agora houve quatro tempestades batizadas neste ano, sendo que duas viraram furacões. Uma turbulência perto da costa africana deve se tornar até quarta-feira a tempestade tropical Earl.

As previsões para a temporada toda não são capazes de prever o impacto de uma tempestade em especial, mas fornecem a agricultores, seguradoras e empresas e clientes de energia uma ideia sobre o que esperar nos próximos meses.

(Reportagem de Jane Sutton)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host