UOL Notícias Notícias
 
24/08/2010 - 19h15

Medo de nova recessão nos EUA leva Bovespa à 4a queda

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - Dados desoladores do setor imobiliário nos Estados Unidos voltaram a assombrar o mercado com o fantasma de uma nova recessão, o que levou a Bovespa para baixo pela quarta vez seguida nesta terça-feira.

Acusando o mau desempenho também das commodities que pesou sobre as blue chips Petrobras e Vale, o Ibovespa tombou 1,25 por cento, para 65.156 pontos, o menor nível de fechamento em cinco semanas. O giro financeiro da sessão foi de 4,98 bilhões de reais.

Para especialistas, o indicador mais importante do dia, mostrando que as vendas de moradias usadas nos EUA caíram 27,2 por cento em julho, ao menor nível desde maio de 1995, reforçou a leitura de que a retomada econômica do país está perdendo força, o que ampliou a apatia com investimentos em ações.

Assim como na véspera, o ceticismo com a economia contaminou os mercados de commodities como os de metais e de petróleo, movimento ilustrado pelo índice Reuters-Jefferies, que bateu no menor patamar desde 22 de julho.

Foi o bastante para colocar as principais ações domésticas entre os destaques negativos do dia na Bovespa. O papel preferencial da Vale encolheu 2,3 por cento, a 41,33 reais. O da Petrobras recuou 1,95 por cento, a 26,14 reais.

A preferência por vendas, no entanto, predominou sobre quase todos os setores. Com isso, apenas 12 dos 66 papéis do Ibovespa fecharam no azul. Outro segmento que se destacou negativamente foi o financeiro, com destaque para Bradesco, que caiu 2,25 por cento, a 30,45 reais.

A performance fraca dos bancos seguiu-se ao relatório do Banco Central mostrando que o crédito do sistema financeiro nacional cresceu 1,2 por cento em julho, desacelerando em relação aos meses anteriores. O documento também mostrou que a inadimplência ficou estável em 5 por cento.

Mas o papel do Ibovespa com pior desempenho foi Embraer, que caiu 3,9 por cento, a 10,42 reais, mesmo após a companhia ter informado que iniciou negociações com a Força Aérea do Chile (FACH) sobre a futura venda de seis cargueiros militares KC-390.

Um avião da empresa brasileira, modelo ERJ-190, sofreu um acidente na cidade chinesa de Yichun nesta terça-feira em que pelo menos 43 pessoas morreram .

Para analistas, a sequência de perdas que têm levado os ativos financeiros às mínimas em cerca de um mês já começa a inquietar alguns investidores, que já enxergam no movimento o prenúncio de uma baixa mais acentuada.

"Alguns indicadores já romperam suportes importantes nos mercados internacionais, o que coloca a Bovespa em risco, especialmente no momento em que as dúvidas sobre o processo da capitalização da Petrobras aumentam", disse Milton Wagner, da consultoria Wagner Investimentos.

No restante da semana, segundo analistas, as atenções do mercado devem se voltar para a divulgação do PIB revisado dos EUA no segundo trimestre.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    14h00

    -0,54
    3,119
    Outras moedas
  • Bovespa

    14h01

    -0,62
    75.505,30
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host