Topo

Marechal deve deixar ministério para se candidatar à Presidência do Egito

26/03/2014 12h54

CAIRO, 26 Mar (Reuters) - O chefe militar do Egito, marechal Abdel Fattah al-Sisi, se reuniu com líderes militares na quarta-feira para anunciar que estava renunciando ao cargo de ministro da Defesa para concorrer à Presidência, informou o jornal estatal Al-Ahram em seu website.

Citando uma fonte militar, o Al-Ahram afirmou que Sisi deveria anunciar a decisão em um comunicado.

O Exército depôs o presidente Mohamed Mursi no ano passado depois de protestos em massa contra seu governo, e Sisi é amplamente cotado para ganhar a eleição. Ele precisa renunciar ao cargo de ministro da Defesa e deixar o Exército para se candidatar.

Sisi, de 59 anos, é popular entre os egípcios que apoiaram a decisão do Exército de remover Mursi um ano após ele chegar ao poder. Mas Sisi é criticado pela oposição islâmica, que o vê como o mentor de um golpe contra um líder eleito e como autor da repressão aos dissidentes.

A reunião do Conselho Supremo das Forças Armadas começou "há pouco tempo", informou o Al-Ahram. Sisi teria convocado a reunião para informar o conselho de "sua renúncia como ministro da Defesa, abrindo caminho para o anúncio de sua candidatura para as eleições presidenciais".

As autoridades ainda têm de definir uma data para as eleições presidenciais. O político de esquerda Hamdeen Sabahi, que ficou em terceiro lugar nas eleições de 2012, foi até agora o único a se candidatar.

O general Sedki Sobhi, que ocupa o cargo de chefe de gabinete, deve substituir Sisi no comando do Exército e no Ministério da Defesa.

Mais Notícias