Obama terá reunião com procuradora-geral dos EUA para reduzir violência por arma de fogo

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta sexta-feira que irá se reunir com a procuradora-geral dos EUA, Loretta Lynch, na segunda-feira, para debater maneiras de reduzir a violência por arma de fogo no país, em meio a especulações de que pretende assinar um decreto sobre a questão.

Obama, em seu pronunciamento semanal gravado, disse que recebeu "cartas demais de pais, professores e crianças para ficar sentado sem fazer nada".

O presidente tem reiterado apelos ao Congresso para intensificar as leis de controle de armas, em especial após o massacre de 2012 em uma escola de ensino fundamental de Newtown, em Connecticut, e novamente depois dos ataques dos últimos meses em Colorado Springs, no Colorado, e San Bernardino, na Califórnia.

"Poucos meses atrás eu direcionei a minha equipe na Casa Branca para olhar para qualquer nova ação que eu possa tomar para reduzir a violência com armas", disse Obama no pronunciamento. "E, na segunda-feira, vou me encontrar com nossa procuradora-geral, Loretta Lynch, para discutir nossas opções".

O jornal Washington Post, citando várias pessoas com conhecimento do assunto, disse que Obama e Lynch irão "finalizar um conjunto de decretos sobre armas que ele apresentará na próxima semana".

Frustrado com a falta de ação do Congresso, Obama prometeu usar "qualquer poder que o gabinete presidencial tenha" para aplicar medidas de controle de armas por meio de decretos presidenciais, que não necessitam de aprovação parlamentar.

(Reportagem de Sandra Maler; Reportagem adicional de Megan Cassella, em Washington, e Jeff Mason, em Honolulu)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos