Agência de refugiados da ONU critica Dinamarca e cobra que Europa dê exemplo

Por Stephanie Nebehay

GENEBRA (Reuters) - A agência de refugiados da ONU criticou a Dinamarca nesta quinta-feira por medidas que representam uma "afronta" à dignidade dos refugiados, e o novo chefe da entidade fez um apelo à Europa para que não levante barreiras para impedir a chegada de pessoas em busca de asilo.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) criticou as propostas do governo dinamarquês que dificultam a reunificação de famílias de refugiados e o direito a receber o status de refugiados.

Em um documento enviado ao governo dinamarquês, o Acnur se concentrou em uma medida que autoriza a polícia confiscar os bens de pessoas em busca de asilo avaliados em mais de 436 dólares para ajudar a pagar por sua estadia, que descreveu como uma "resposta profundamente preocupante a necessidades humanitárias" e "uma afronta à sua dignidade".

Filippo Grandi, diplomata italiano que assumiu o Acnur esta semana, disse separadamente em entrevista coletiva que a Europa precisa dar o exemplo ao receber os refugiados e não erguendo barreiras.

"Se a Europa tivesse uma resposta coerente e coordenada... essas reações de fronteira que algumas vezes são justificadas, como no caso da Suécia, por uma enorme chegada de pessoas, não estariam acontecendo", disse Grandi.

Mais de um milhão de pessoas que fugiram de guerras no Oriente Médio e na África chegaram à Europa em 2015, e a Alemanha recebeu a maior parte delas. A Dinamarca impôs controles temporários em suas fronteiras depois que a Suécia colocou em prática controles para coibir a entrada de imigrantes.

(Reportagem adicional de Sabina Zawadzki em Copenhague)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos