Bancos europeus devem promover mais cortes de empregos em segmento de ações asiáticas

Por Lawrence White e Sumeet Chatterjee

HONG KONG/MUMBAI (Reuters) - Bancos europeus devem cortar ainda mais postos de trabalho para o segmento de ações na Ásia, disseram fontes do setor, com as reduções de custos globais atingindo negócios periféricos em uma região cuja queda dos volumes de negociações chineses e a competição local têm reduzido lucros.

Banqueiros e recrutadores disseram à Reuters que BNP Paribas, Deutsche Bank e Barclays estão entre os bancos que devem reduzir equipes de negociação e de analistas de ações em mercados não essenciais na Ásia neste ano.

Os cortes discutidos ditam o tom para um 2016 duro. Já neste ano, o tumulto nas ações chinesas dificultou a vida de corretoras que tentam impulsionar os negócios em mercados que pagam comissões. Medidas regulatórias imprevisíveis e do banco central chinês fizeram com que as ações despencassem e motivaram suspensões das negociações.

"Continuamos a ver os bancos avaliando a rentabilidade dos negócios na Ásia", disse Paul McSheaffrey, diretor de banking em Hong Kong na KPMG.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos