Deutsche Telekom enfrenta escrutínio sobre condições de trabalho nos EUA

FRANKFURT/NOVA YORK (Reuters) - A Deutsche Telekom está enfrentando crescente pressão de investidores e parlamentares para garantir tratamento adequado a trabalhadores de sua unidade norte-americana T-Mobile US.

A maior subsidiária da empresa alemã se beneficiou de dois anos de rápida expansão no competitivo mercado norte-americano, no qual ultrapassou sua rival mais próxima, a Sprint, em termos de assinantes.

Mas tem sido acusada por seu principal sindicato, o CWA, de infringir os direitos dos trabalhadores e, no ano passado, foi acusada de adotar práticas de trabalho ilegais em dois casos apurados por autoridades do país.

A T-Mobile, que tem cerca de 45 mil funcionários, disse que segue a lei e negou tratar mal trabalhadores.

Dois grandes acionistas da Deutsche Telekom expressaram preocupação com a empresa sobre o tratamento dado a funcionários da T-Mobile, de acordo com as fontes. Parlamentares em Washington e Berlim pediram que o governo alemão, que controla 30 por cento da Deutsche Telekom, pressionasse a companhia para garantir que seu negócio norte-americano respeite os direitos dos trabalhadores.

A Deutsche Telekom recusou-se a comentar, afirmando que as discussões com os acionistas eram confidenciais.

(Por Harro Ten Wolde e Malathi Nayak)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos