Nova York inaugura primeira clínica de maconha medicinal

NOVA YORK (Reuters) - As primeiros clínicas de maconha medicinal de Nova York abrem as portas nesta quinta-feira como parte do lançamento de um dos programas mais conservadores do tipo nos Estados Unidos.

Nova York se juntará a outros 22 Estados e a capital Washington, com programas abrangentes que permitem o uso legal de maconha para câncer, AIDS e outros pacientes certificados por um médico.

O lançamento em Nova York ocorre mais de um ano e meio após o governador Andrew Cuomo assinar a legislação conhecida como a Lei de Cuidados de Compaixão, que permite aos pacientes o uso de maconha para aliviar sintomas. Os defensores da maconha medicinal têm lutado há anos pela mudança.

"Nosso programa assegura a disponibilidade de produtos de maconha medicinal de grau farmacêutico para pacientes certificados e estabelece controles rigorosos visando proteger a saúde e a segurança pública", disse o Dr. Howard Zucker, comissário de Saúde do Estado de Nova York, em um comunicado.

No âmbito do programa, o Estado licenciou cinco organizações para fabricar e vender maconha medicinal, cada uma autorizada a operar em quatro clínicas. Todas deverão estar em pleno funcionamento até o final do mês.

Em todo o Estado, oito clínicas devem ser inauguradas, em cidades como Nova York e Albany, nesta quinta-feira, segundo autoridades locais de saúde. O programa é restrito a pacientes com doenças muito graves e terminais, incluindo câncer, HIV e AIDS, doença de Parkinson e epilepsia.

(Por Laila Kearney)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos